Sofrer um acidente aéreo fatal é tão difícil quanto ganhar na loteria, mas pode acontecer…

4
89

acidente-loteriaEstamos ainda todos consternados com a confirmação da queda do Airbus da Air France que partiu do Rio de Janeiro a Paris, no último domingo. E, sempre que ocorre um acidente aéreo de grande porte, surge a pergunta: É mesmo seguro viajar de avião? Bem, eu (pr. Ciro Sanches) que viajo com frequencia não posso ter esse tipo de medo, mas sempre entrego a minha vida a Deus quando entro em uma aeronave.

Recentemente, em um voo para Curitiba, Paraná, o comandante interrompeu a decolagem quando o avião já estava prestes a levantar o nariz! Todos ficaram em pânico, pois o susto foi muito grande. (Quem costuma voar precisa estar preparado para acontecimentos inesperados, como turbulências, arremetidas e interrupções abruptas de decolagens.)

A aeronave que me levaria a Curitiba, então, voltou para o ponto de origem, e os passageiros foram orientados a permanecerem sentados. O tempo foi passando, o medo aumentando, enquanto os comissários permaneciam com a cortina fechada. A cada minuto, os passageiros ficavam mais ansiosos e apavorados. Então, orei a Deus e senti no meu coração que aquele avião, se decolasse, cairia.

Não costumo fazer isso, mas, depois de orar, abri a Bíblia, aleatoriamente, e pus o dedo em cima de Jeremias 51.45, que diz: “Saí do meio dela, ó povo meu, e livre cada um a sua vida, por causa do ardor da ira do Senhor”. Quer saber o que eu fiz? Levantei-me imediatamente, chamei um comissário e lhe disse: “Quero sair deste avião agora mesmo”. E ele me respondeu: “O comandante pediu para todos ficarem assentados e com os cintos afivelados”.

Mas eu insisti, recebendo o apoio de um rapaz e de uma senhora: “Eu vou sair deste avião porque já perdi o meu compromisso. Não sou obrigado a voar”. Esse meu pedido enfático gerou uma grande movimentação dentro do avião, e o comandante teve de autorizar a saída de todos.

Quanto à aeronave, não decolou mesmo. Todos os passageiros foram encaminhados para outra. Por quê? Tive a convicção, no meu íntimo, assim como Paulo (At 27.10), de que aquela viagem, naquele equipamento, não deveria prosseguir. Certamente cairia. E eu louvo a Deus pelo grande livramento que Ele me concedeu!

Aos leitores que têm medo de voar, preferindo viajar de carro ou de ônibus para lugares próximos, e deixando de conhecer lugares mais distantes, desejo transmitir-lhes uma palavra: não se deixem dominar pelo medo. Afinal, ocorrem no mundo, em média, 180 mil decolagens por dia! Isso equivale a quase 66 milhões de voos por ano! Como ocorrem, anualmente, três ou quatro acidentes aéreos de grande porte, a possibilidade de você, caro leitor, partir para a eternidade em uma queda de avião é mesma de alguém ganhar sozinho na principal loteria do País.

Há pessoas que jogam na loteria durante a vida toda e não conseguem ganhar. E existem as que voam durante toda a vida sem enfrentar nenhum acidente. Algumas sequer passam por turbulências que chegam a assustar. Por outro lado, há quem jogue uma única vez na loteria e ganhe…

Moral da história: Não deixe de voar por causa dos acidentes que eventualmente acontecem.

Ah, e nada de jogar na loteria, hein!

Ciro Sanches Zibordi
www.padom.com/blog do Ciro

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui