O cantor Sérgio Reis, 81 anos, além de ter sua casa “invadida” pela Polícia Federal, a mando do ditador Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), agora também está proibido de chegar perto da Praça dos Três Poderes.

Sérgio Reis e outros nove investigados terão de manter distância de pelo menos um quilômetro da Praça que fica em Brasília, além disso eles também não poderão chegar perto de senadores e de ministros do STF.

A medida judicial vem após Sérgio Reis gravar um vídeo, convocando as pessoas para uma manifestação do dia 7 de setembro, fazendo com ele  os ministros se sentissem ameaçados.

O cantor chegou a dizer que estava organizando uma manifestação a ser realizada na semana do dia 7 de setembro, em Brasília-DF, e que caminhoneiros iriam parar o país se o Senado não afastasse de seus cargos os ministros do STF.

“Se em 30 dias não tirarem os caras nós vamos invadir, quebrar tudo e tirar os caras [os ministros do STF] na marra. Pronto. É assim que vai ser. E a coisa tá séria”, declarou Sérgio. “Se vocês não cumprirem em 72 horas, nós vamos dar mais 72 horas. Mas nós vamos parar o país. Já está tudo armado. O país vai parar… tudo. Norte a sul, leste a oeste. Os plantadores de soja vão colocar as colheitadeiras na estrada. Ninguém vai andar em carro particular, nem ônibus”, disse, no mesmo vídeo.

As mensagens tiveram rápida e ampla circulação nas redes sociais. Dias depois, o cantor se mostrou arrependido e chegou a chorar em transmissões ao vivo nas redes sociais. Contudo, ele ainda defendeu a manifestação. “Se não fizer uma paralisação, não muda este país. Não sou frouxo. Não sou mulher. Cadeia é para homem. Eu não saí daqui de casa. Estou aqui em casa quietinho. Se a Federal vier me buscar, eu vou”.

Deixe sua opinião