serpaiemaeQuanto tempo o casal deve se preparar para a paternidade/maternidade responsável.

“Ele era o filho mais velho dos sete que seus pais tiveram, por isso sofreu muito com a ignorância dos pais. Seus três irmãos mais novos sofreram bem menos”.

Nenhuma outra missão é mais desafiadora do ponto de vista moral, social e espiritual do que “SER PAI”. Quanto tempo uma pessoa estuda para ser um advogado, um administrador de empresa, um médico ou um dentista? Para ser um bom médico, dependendo da área em que se vai atuar, entre a universidade e uma especialização, seus estudos podem durar até 10 anos. O que é mais difícil, ser um “bom médico” ou ser um “bom pai”? Se você respondeu que é ser um “bom pai”, faça uma pesquisa entre 100 pais e veja quantos destes se prepararam 10 anos para “exercer a paternidade”. É por causa desta falta de preparo que os pais cometem a maioria dos seus erros com o primeiro filho, super-compensam com o segundo e, finalmente, acertam com o terceiro -isso é, quando acertam. O que dizer dos pais que só tiveram 1 ou 2 filhos, será que deu tempo para aprender?

Ser pai é como ser um escultor, que pega uma madeira bruta e dela faz uma linda “obra de arte”, que enche os olhos de todos. Essa não é uma tarefa simples, fácil e comum, pelo contrário, é uma missão que exige aptidão, devoção, entrega, sacrifício, renúncia, amor e muita dedicação. É comum, ouvir após as minhas palestras sobre: “o desafio de criar filhos em um mundo conturbado”, pais com os olhos cheios de lágrimas, dizendo: “Por que eu não escutei tudo isso à 30 anos atrás? Se tivesse ouvido, com certeza não teria cometido os erros que cometi e teria sido um pai melhor”.

Diante desse desafio, a pergunta que você pode estar fazendo, é: “Como se preparar para a paternidade responsável?” Primeiro – Aprendendo com as experiências dos seus pais. Meus pais criaram 9 filhos, 4 homens e 5 mulheres. Do processo de educação de todos eles, muitas coisas devem ser copiadas, e outras, devem ser evitadas. Aprendemos também com os erros que os nossos pais cometeram. Hoje eu compreendo que meus pais tentando acertar. Segundo: Ouvindo outros pais que foram bem sucedidos em sua missão. Quando os meus filhos ainda eram pequenos, em uma das minhas viagens fiquei hospedado na casa de um pastor durante uma semana. Foram dias de aprendizagem. Eu e a minha esposa ficamos impressionados com a educação, o respeito, o carinho e a submissão daqueles filhos para com os pais e vice versa. Durante todo o tempo que passamos naquela casa, deu para perceber o quanto aqueles pais foram bem sucedidos na sua missão paternal. Antes de viajar de volta para a nossa casa, eu chamei aquele pai à parte, e perguntei: – Querido, qual é o segredo para se ter filhos assim? Qual é a receita para formar filhos com esse perfil? Eu estava ainda no começo, e não queria errar na minha missão se ser pai. Tivemos um bom tempo junto, onde ele me deu uma “aula” inesquecível de “como educar filhos” para que sejam fonte de alegria dentro e fora de casa. Eu a minha esposa aplicamos aqueles princípios. Já fazem mais de dezesseis anos que isso aconteceu e ainda somos gratos a este meu amigo que nos ensinou a ser pais melhores. Muito daquilo que aprendi com ele, vou estar compartilhando com você neste livro. Terceiro: Participando de simpósios sobre “família”. Sempre que encerro um seminário para família, dias depois, recebo muitos e-mail’s de homens e mulheres testemunhando as mudanças provocadas pelo esclarecimento através das ministrações das palestras. Quando Jesus disse: “E Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”, (1) isso tem a ver com a “libertação da ignorância” para que sejamos pessoas melhores em todas as áreas da nossa vida. Pais que fazem a diferença na vida dos filhos, são aqueles que têm fome de conhecimento e sempre buscam aprender para exercerem a paternidade de acordo com o que foi planejado por Deus. Nunca deixe de participar dos simpósios, seminários, congressos e palestras sobre família. Isso te fará um pai/mãe melhor. Quarto: Lendo bons livros que tratam sobre este tema. A maioria das pessoas desconhecem o poder que há na leitura de bons livros. Pais que lêem muito sobre a sua missão no lar, sempre serão melhores do que aqueles que não se importam com a leitura. Freqüentemente sou impactado com a leitura de um bom livro. Em uma das minhas viagens, li um livro que impactou a minha vida em algumas áreas, inclusive no que diz respeito aos meus filhos. Foi tão forte o que aconteceu que ao chegar em casa, comecei a mudar muita coisa que estava sendo feita de forma errada. Busque ler bons livros com o propósito de melhorar nas áreas que você sabe não ter habilidade. Quinto: Busque sempre na Palavra de Deus as respostas que são necessárias para o exercício da paternidade responsável. A Bíblia é o “manual do fabricante”, ninguém melhor do que Deus para dizer como deve funcionar a família. Os livros sobre relacionamento são importantes, porém a Palavra do Senhor é imprescindível, vital, indispensável, soberana. Tudo precisa passar por ela. A Bíblia é o nosso prumo, nossa lâmpada, nossa balança fiel, nossa base sólida (rocha), nosso mapa, nossa bússola, nosso pão, nossa água, nossa fonte de esperança, alegria, paz, fé, amor e confiança. Jesus disse, que, qualquer pessoa que edifica seu projeto de vida tendo como base a Sua Palavra, é inteligente e vive com segurança, pois mesmo vindo a tempestade, esse projeto não terá problema – porque está firmado naquilo que é inabalável, a Palavra do Senhor. Porém, Ele também disse, que, aqueles que desprezam a Palavra de Deus, ou não a levam muito a sério, constroem seu projeto de vida sobre uma base frágil, inconsistente, vulnerável, por isso não suportarão a força dos ventos quando vier a tempestade. (2)

Leia também!  Casal religioso é condenado por negar tratamento a filho que morreu

Lembre-se, nossos filhos nos dão a oportunidade de sermos os pais que gostaríamos de ter.

• Antes de se casar você teve orientações sobre “Como criar filhos emocionalmente saudáveis”?

• Quantos livros você já leu sobre “A difícil arte de educar filhos”?

• Você já participou de alguma palestra sobre “Pais e Filhos”?

• É comum para você conversar com pais que tiveram sucesso na criação dos seus filhos para aprender com eles?

• Você tem procurado na Palavra de Deus as resposta necessárias sobre criação de filhos?

_______________________

1) Ev. João 8.32

2) Ev. Mateus 7. 24-26

EDUCANDO O FILHOA PARTIR DO ÚTERO.

Eles começaram o processo de educação e disciplina depois que as crianças nasceram, começaram tarde.

“É verdade que o processo de educação dos filhos começa 20 anos antes do nascimento deles?”

Quando educamos filhos, estamos esculpindo os nossos netos. Filhos bem treinados, netos abençoados. “Grandemente se alegrará o pai do justo, e quem gera um sábio nele se alegrará”. (1) Educar filhos pensando na próxima geração, nos ajuda a exercer essa tarefa com mais diligência. As marcas que você deixar nos seus filhos, serão transferidas para os netos, bisnetos, enfim para a geração futura. Você sabia que à semelhança de José, você pode ser o redentor(a) da sua família. As falhas de caráter que encontramos na família de Abraão até Jacó, não encontramos em José e sua família.(2) Isso significa que, a partir de você, toda a história de sua família pode ser mudada. Qual é o legado que você quer deixar para sua posteridade? Tenha isso sempre em mente, educar bem os filhos, é “esculpir os netos”.

Leia também!  Salve seu casamento enquanto é tempo! (forte)

Vamos pensar um pouco sobre a “educação intra-uterina”. Muitos pais erraram por não saber que se começa bem à educação de um filho, quando se começa a partir da gravidez. Precisamos de algumas informações sobre o processo de gestação, que pode nos orientar, facilitando esta difícil tarefa de criar filhos com inteligência. A revista Super-Interessante n 130, do mês de Julho/2007 trouxe um artigo sobre Escola Dentro do Útero que é muito esclarecedor.

Aos seis meses de gestação

“Quando o bebê chega aos seis meses de gestação, tem boa parte dos sentidos de um adulto. O sistema auditivo está completo, ele já percebe diferenças de claridade, tem tato no corpo inteiro, além de paladar e olfato. Por isso, alguns acontecimentos traumáticos nessa fase podem ficar em sua memória inconsciente. ‘No final da gestação, o feto é mais esperto do que o recém-nascido’ diz a Dra.Vera Iaconeli. É que, boiando no líquido amniótico, ele consegue se mover com mais facilidade do que depois de nascer, quando seus membros lhe parecem pesados demais.
Prazer e aversão

Nessa fase, o bebê suga, chupa o dedo, mexe as pálpebras, soluça, brinca com o cordão umbilical”, enumera Maria Valeriana, da Unicamp. “Às vezes, ele também chora.” Os modernos aparelhos de ultra-som descobriram que, além de tudo isso, ele começa a sorrir quando algo o agrada e demonstra claramente quando sente aversão. Se a mãe come um quitute diferente, com um toque muito amargo, o líquido amniótico fica amargo também e a fisionomia do feto deixa claro que ele não gostou nada da receita exótica.

O ultra-som também revelou, pelo movimento ocular, que o feto sonha. ‘Ele passa 16 horas por dia dormindo e sonha durante 65% desse tempo’, diz o neurologista Rubens Reimão, especialista em distúrbios do sono. Não se sabe bem com o que ele sonha. Provavelmente, repassa o que passou durante as breves vigílias. ‘O final da gestação é a época em que se estabelece a maior quantidade de sinapses, as transmissões entre um neurônio e outro’, prossegue Reimão. ‘E, para que elas se formem, é preciso estímulo. O sonho é um momento de atividade intensa do cérebro, que favorece a criação das sinapses. É uma etapa fundamental para a inteligência – quanto mais estímulos, melhor.

Ensino acelerado

Quer dizer então que o feto cursa uma espécie de pré-escola na barriga da mãe? Em termos, sim. ‘Já foi mostrado que o recém-nascido prefere e se acalma com músicas que ouviu durante a gestação’, diz Berenstein. ‘Acredito que a sensibilidade musical possa começar a se formar dentro do útero’.

Leia também!  Sentimos muito pelo padre brasileiro, dizem produtores de animação da Pixar

Há histórias impressionantes, como a do maestro canadense Boris Brott, que, quando criança estranhava a facilidade com que aprendia trechos de algumas obras. Comentou isso com a mãe, que era violoncelista, e ela lhe disse que esses trechos eram exatamente aqueles que ela tocava enquanto estava grávida e não voltou a executar depois. Também é possível que a habilidade lingüística comece a ser adquirida na fase final da gestação. As mães que conversam com o feto estariam habituando-o ao ritmo e à musicalidade da língua. ‘Há relatos de crianças que passaram a gravidez em um país estrangeiro, onde a mãe falava outro idioma, e depois tinham dificuldade em aprender a língua pátria’, conta Maria Valeriana.

Ainda não se sabe o quanto se pode aprender no útero. Mas não há dúvida de que, ao sair da sua salinha escura depois de nove meses, você já nasceu sabendo ser o que é. Ao menos um pouco.

Aos seis meses quase todos os sentidos funcionam nos últimos meses de gravidez, o bebê já percebe muito do que acontece ao seu redor. Alguns pesquisadores acham que ele até começa apreciar música e a se acostumar com a linguagem.

Com base nessas informações, podemos compreender quais são as conseqüências sobre o bebe quando a gravidez não foi desenvolvida em um ambiente saudável, nutridor, abençoador. Sempre que dou palestras às mulheres grávidas, procuro mostrar a importância de elas durante todo o período de gestação, com o apoio dos maridos, criar uma atmosfera propícia dentro da relação de casal e de família, pensando na saúde emocional do bebe. Você já parou para pensar como um pai pode abençoar seu filho(a) ainda no útero da mãe, recitando textos da Bíblia como o Salmo 23.1: “O Senhor é o ‘nosso pastor’ e nada ‘nos’ faltará” e também dizendo palavras carinhosas como “você é especial para Deus e para o papai e a mamãe” enquanto acaricia a barriga dela afetuosamente?

O contrário também é verdadeiro. Muitos pais não tem noção do quanto prejudicaram o filho, quando na gravidez disseram palavras que geraram uma psicologia de destruição da auto-imagem e estima da mãe e da criança. Por causa disso, muitas crianças nascem com complexos, traumas e tantos outros sentimentos negativos gerados intra-uterinamente. Quando os pais sabem abençoar nutrindo as emoções dos filhos a partir da gestação, eles facilitam o processo de educação quando os mesmos saem da escola chamada “útero materno”.

“Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele”. (4)

• Como era o ambiente no seu lar durante os meses de gravidez da esposa?

• Se a sua esposa está grávida, como é o ambiente do seu lar?

• Durante toda a gravidez vocês tinham conhecimento de que o filho e a mãe devem ser tratados com carinho e muito amor durante todo o processo de gestação?

• Você já conversou com os seus pais para saber como eles se relacionavam quando você estava sendo gerado no útero da mãe?

• Durante a gravidez da sua esposa, era comum você colocar as mãos na sua barriga e abençoar o filho que estava sendo gerado?

___________________________

1) Provérbios 23.24

2) Gênesis cap 37 ao 51

3) Provérbios 22.6

Pr. Josué Gonçalves

Deixe sua opinião