Uma recém-nascida que nasceu nas Filipinas de nome Danica é simbolicamente o ser humano de número 7 bilhões. O nascimento foi celebrado em Manila e ilustra os desafios planetários de crescimento demográfico. A Ásia concentra dois terços da população mundial.

Danica May Camacho, nascida no domingo, dois minutos antes da meia-noite, tem 2,5 quilos. “É muito bonita. Não posso acreditar que seja a habitante sete bilhões do planeta”, comentou emocionada a mãe Camille Dalura. A criança receberá uma bolsa de estudos e seus pais uma quantia em dinheiro não divulgada.

A representante do Fundo das Nações Unidas para a População (UNFPA) nas Filipinas, Ugochi Daniels, declarou que que o mundo e seus sete bilhões de habitantes formam um conjunto complexo de tendências e paradoxos, mas o crescimento demográfico faz parte das verdades essenciais em escala mundial.

Muita comida e pouca distribuição

Para o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, a data não é motivo de alegria. “Os recém-nascidos chegam a um mundo contraditório, com muita comida para uns e com a falta de alimentos para um bilhão de pessoas que vão dormir com fome todas as noites. Muitas pessoas gozam de luxuosos estilos de vida e muitos outros vivem na pobreza”, disse à revista americana “Time”.

A família de Mevic atualmente vive precariamente, o que pode explicar o fato de que neste ano não houve foto simbólica com o chefe das Nações Unidas. “Não se trata de números. Trata-se de pessoas”, disse Ban, que visitou uma escola de Nova York na última semana.

SRZD / Portal Padom

 

Deixe sua opinião