A visita de judeus ao Monte do Templo, na semana de Sucot foi recebida por uma multidão de muçulmanos hostis gritando Allahu Akbar (Alá é grande).

Na quinta-feira, a polícia prendeu cinco árabes por atacar um policial que tentava restabelecer a calma, depois cerca de 30 muçulmanos ameaçaram lutar contra outro grupo islâmico, no lugar. Um visitante judeu também foi preso por se recusar a obedecer às ordens da polícia.

O incidente corre depois da prisão do líder ativista Likud Moshe Feiglin, na terça-feira, junto com outro visitante judeu que supostamente estava orando no Monte do templo. Os judeus pode visitar o local onde estava o Primeiro e Segundo Templo, mas só os muçulmanos estão autorizados a orar ali.

Quando Jerusalém foi reunificada sob soberania judaica após a Guerra dos Seis Dias, Israel permitiu que os muçulmanos tivesse a administração do Monte do Templo, com Israel como responsável pela segurança do local.

Ao longo dos anos, os árabes muitas vezes se amotinaram no Monte do Templo, às vezes atirando pedras nos judeus quando eles oram no Muro Ocidental de baixo.

Traduzido e adaptado de CBN por Portal Padom

Portal Padom

Deixe sua opinião

Leia também!  Vídeo-aula: Entenda o conflito árabe-israelense