As autoridades estão investigando um rio que atravessa a árida região de Karak, na Jordânia, que, normalmente é puro e limpo, ficou inexplicavelmente vermelho na semana passada.

O rio nasce nas nascentes de água no topo das montanhas em Ghor Al-Hadeetha 

Omar Salama, porta-voz do Ministério da Água da Jordânia, disse que a poça vermelha que apareceu na área do Mar Morto está isolada do mar e não escorre para ela, alegação que foi contestada online por geólogos. Salama disse que equipas do Ministério da Água recolheram amostras da água tingida de vermelho que estão a ser analisadas.

O professor Ahmed Moalabeh sugeriu que a mudança de cor foi causada por uma alga chamada “Donaliella salina”, que prefere água salgada e altas temperaturas. As algas secretam uma substância tingida de rosa.

A região era uma importante fortaleza moabita nos tempos bíblicos chamada Qer Harreseth ou Kir de Moab.

Em resposta ao pedido de Acaz, o rei da Assíria marchou com o seu exército para a cidade de Damasco, conquistou-a, matou o rei Rezim e levou o povo para Quir como prisioneiro.” – 2Reis 16:9 NTLH

A imagem de um rio vermelho-sangue tem conotações bíblicas para os que buscam a Bíblia, mas também é significativa para os muçulmanos da Jordânia. 

No Islã, existem cinco pragas, ou seja, inundações, gafanhotos, piolhos, sapos e transformação de água potável em sangue, enquanto na Bíblia existem dez pragas, isto é, água em sangue, sapos, piolhos, animais selvagens, feridas de gado doente, tempestades de fogo, gafanhotos, escuridão e morte de primogênito. De acordo com o Alcorão, as pragas foram trazidas por Moisés (Musa), um dos cinco profetas mais proeminentes do Islã. 

Leia também!  Menino que morreu afogado em batismo não queria ser batizado, diz mãe

Rios ficando vermelhos, não importa a causa, são uma reminiscência da primeira praga que Deus enviou para atacar o Egito antes do Êxodo:

“E o Senhor disse também a Moisés: — Diga a Arão que pegue o bastão e estenda a mão sobre os rios, os canais, os poços e os reservatórios, para que as suas águas virem sangue. Assim, haverá sangue até nas tigelas de madeira e nas jarras de pedra. Moisés e Arão fizeram como o Senhor havia mandado. Na frente do rei e dos seus funcionários, Arão levantou o bastão e bateu no rio, e a água virou sangue.” – Êxodo 7:19?-?20 NTLH

Segundo a tradição judaica e com base em um verso em Miquéias, as dez pragas vão reaparecer antes do Messias. 

“Mostrar-lhe-ei feitos maravilhosos, como nos dias em que saíste da terra do Egito.” –  Miquéias 7:15

Fontes judaicas predizem que todas as pragas reaparecerão na Redenção final, mas em formas ainda mais poderosas. Está escrito no Midrash Tanchuma , ensinamentos homiléticos coletados por volta do século V, que “assim como Deus feriu os egípcios com 10 pragas, Ele também atacará os inimigos do povo judeu na época da Redenção”.

Nahmanides, uma Torá proeminente estudioso do século 12 a partir de Espanha, escreveu em seu comentário sobre as pragas que a principal razão pela qual Deus puniu os egípcios não era por escravizar o povo israelita, mas por dispensar Deus e sua influência em sua vida.

Esse conceito foi explicado pelo Rabino Bahya ben Asher , um comentarista espanhol do século 13, que escreveu: “No Egito, Deus usou apenas parte de Sua força. Quando a redenção final vier, Deus mostrará muito, muito mais do Seu poder.”

Deixe sua opinião