A rainha usou seu tradicional discurso de Natal para chamar as pessoas a mostrar respeito umas pelas outras, apesar das diferenças.

Ela estendeu esse apelo às pessoas de fé, enquanto as advertia a não ceder ao “tribalismo religioso“.

A rainha refletia sobre o “poder da fé“, mas também “alguns dos paradoxos desconcertantes da vida, como o modo como os seres humanos têm uma enorme propensão ao bem e, ainda assim, uma capacidade para o mal”.

Até mesmo o poder da fé, que freqüentemente inspira grande generosidade e auto-sacrifício, pode ser vítima do tribalismo“, disse ela.

Mas através das muitas mudanças que tenho visto ao longo dos anos, a fé, a família e a amizade não têm sido apenas uma constante para mim, mas uma fonte de conforto pessoal e segurança.”

A rainha, 92, reinou nos últimos 66 anos, tornando-se a monarca reinante mais antiga da Grã-Bretanha. Desde sua coroação em 1953, ela viu 19 diferentes primeiros-ministros liderarem o Parlamento.

Embora a rainha seja politicamente neutra, o discurso do Dia de Natal deste ano foi feito no contexto de um debate tóxico na Grã-Bretanha sobre a sua retirada da União Europeia.

Em uma aparente referência a esse debate, ela apelou por respeito.

Mesmo com as diferenças mais profundas, tratar a outra pessoa com respeito e como um ser humano é sempre um bom primeiro passo para uma maior compreensão”, disse a rainha.

Mas a rainha também injetou algum humor em seu discurso enquanto refletia sobre um ano “ocupado” com a família.

O príncipe Harry e Meghan Markle se casaram em maio e estão esperando o primeiro filho deles na primavera, enquanto a neta Princesa Eugenie se casou com o Jack Brooksbank em outubro.

O príncipe William e a duquesa de Cambridge também receberam seu terceiro filho este ano, o príncipe Louis.

Mais perto de casa, tem sido um ano movimentado para minha família, com dois casamentos e dois bebês e outra criança espera em breve“, disse ela.

Isso ajuda a manter uma avó bem ocupada.”

Deixe sua opinião