O professor de religião escocês David McNally foi removido do corpo docente, após defender no Instituto onde ensinava os alunos, o trabalho de assassinar “os judeus, gays e portadores de deficiência”, que eram realizados por Hitler nos campos de concentração.

David-McNally-professor-religião-defende-hitlerDavid McNally, um professor de educação religiosa na Academia Kilwinning em Ayrshire, foi considerado inapto para ensinar depois que ele admitiu todas às sete acusações movidas contra ele.

McNally fez uma série de comentários ofensivos a alunos da escola em novembro do ano passado, incluindo: “Hitler não tão ruim, ele matou os judeus, os homossexuais e pessoas com deficiência.”.

Ele também perguntou aos alunos: “Vocês são jakey? (gíria pejorativa em inglês a um alcoólatra sem-teto)  “, E: “Vocês fizeram sexo no fim de semana?”.

Em outra ocasião, McNally disse a seus alunos: “Eu não queria ser um professor. Eu preferia ter sido um guarda prisional ou um molestador de crianças”.

E ele também se gabou ao dizer: “Eu amo meu celular, porque eu posso sentar e assistir filme pornô nele.”.

Paul Reid, do Conselho Geral de Ensino da Escócia, descreveu as declarações do professor de religião como “ofensiva imprópria” e disse que elas causaram “desconforto” para os pais e alunos.

McNally, enviou uma carta ao Conselho de Ension, onde admitiu todas as acusações feitas contra ele.

Reid disse em audiência em Edimburgo: “Esses comentários não foram ditas fora de seu local de trabalho, mas foram ditos em uma sala de aula.”.

“Ele admitiu ter feito estes comentários, em sua notificação de defesa, ele tenta diluir os efeitos de suas declarações.”.

“Na minha opinião, ele não está apto para ensinar as crianças.”, disse Reid.

Segundo o jornal Daily Record, o presidente do Conselho, Donald MacKay disse: “A diretoria decidiu que ele não está apto para ensinar, e ele será removido do registro. Mas ele pode recorrer da decisão, se ele escolher.”

Portal Padom

Deixe sua opinião