Líderes da maior denominação protestante dos Estados Unidos, disseram na quarta-feira que as Escrituras – e não as palavras do papa – determinam o que é verdade sobre o casamento e a sexualidade.

Seus comentários vieram no mesmo dia em que surgiram notícias sobre um novo documentário, Francesco, no qual o Papa Francisco discutia a homossexualidade e as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo.

“Os homossexuais têm o direito de fazer parte da família. Eles são filhos de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deve ser expulso ou se sentir miserável por causa disso”, disse ele, de acordo com  a Agência Católica de Notícias .

Ele acrescentou: “O que temos que criar é uma lei da união civil. Dessa forma, eles são legalmente cobertos. ”

A Agência Católica de Notícias (CNA) disse que os comentários do papa não eram sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas sim sobre o reconhecimento legal do casamento que garantiria os benefícios do casamento. Mesmo assim, seria a primeira vez: “Embora o Papa Francisco tenha discutido anteriormente as uniões civis, ele não endossou explicitamente a ideia em público antes”, disse a CNA.

“O endosso de uniões civis para casais do mesmo sexo é uma abordagem muito diferente para um papa, que representa um afastamento da posição de seus dois predecessores imediatos sobre o assunto”, disse a CNA.

JD Greear, presidente da Convenção Batista do Sul e pastor da Summit Church na Carolina do Norte, exortou os cristãos a buscar respostas na Bíblia.

“Não importa o que um papa, pastor ou autoridade eleita diga, não podemos definir a sexualidade ou a família, o Criador o faz, e sobre isso Sua Palavra não poderia ser mais clara”, disse Greear.

Ronnie Floyd, presidente e CEO do Comitê Executivo da SBC, concorda.

“Como batistas do sul, nossa autoridade sobre sexualidade e casamento é a Bíblia – a Palavra viva de Deus”, disse Floyd. “Nossa autoridade não vem de um homem ou grupo de homens e mulheres, mas somente da Bíblia. Quando a Bíblia fala, Deus fala. A Bíblia ensina que o casamento é a união de um homem e uma mulher em um compromisso de aliança por toda a vida.

“Outras religiões podem escolher outras autoridades para determinar suas crenças sobre casamento, família, sexualidade e outros assuntos da vida”, acrescentou Floyd. “No entanto, como batistas, acreditamos que a Bíblia tem Deus como seu autor, a salvação como seu fim e a verdade, sem qualquer mistura de erro, por seu conteúdo. Portanto, toda a Escritura é totalmente verdadeira e confiável. Não precisamos adicionar nada à Bíblia sobre casamento, família, sexualidade ou qualquer outra coisa porque a Bíblia é o tesouro perfeito de instrução divina de Deus.”

Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa (ERLC) da Convenção Batista do Sul, também exortou os cristãos a confiar na Bíblia.

“Não sei exatamente como interpretar os comentários do Papa Francisco, mas sei que todas as alas da Igreja – Católica, Protestante, Ortodoxa – há 2.000 anos afirmam a visão de Jesus sobre o casamento: que o casamento é, desde o início, uma união entre um homem e uma mulher na fidelidade de um ao outro (Marcos 10: 6) ”, disse Moore. “A Bíblia também deixa claro que o casamento é um mistério que aponta para o evangelho, a união de Cristo e sua igreja ( Ef 5:31 ). Devemos tratar a todos com justiça e compaixão, incluindo aqueles de quem discordamos, mas nenhuma igreja tem autoridade para separar o que Cristo uniu na Palavra que ele nos deu”.

A Agência Católica de Notícias disse que as declarações do Papa Francisco “não negam ou questionam qualquer verdade doutrinária que os católicos devam ter ou acreditar”.

“Na verdade, o papa freqüentemente afirma o ensino doutrinário da Igreja a respeito do casamento”, disse CNA. “… as declarações do Papa Francisco em ‘Francesco’ não constituem ensino papal formal. Embora a afirmação do papa da dignidade de todas as pessoas e seu apelo ao respeito de todas as pessoas estejam enraizados no ensino católico, os católicos não são obrigados a apoiar uma posição legislativa ou política por causa dos comentários do papa em um documentário ”.

Deixe sua opinião