Procure nas Escrituras, não no Papa, a Visão de Deus sobre Sexualidade, dizem os líderes Batistas

Líderes Batistas, afirmam que as declarações do Papa não determinam o que é verdade sobre o casamento e sexualidade.

0
625

Líderes da maior denominação protestante dos Estados Unidos, disseram na quarta-feira que as Escrituras – e não as palavras do papa – determinam o que é verdade sobre o casamento e a sexualidade.

Seus comentários vieram no mesmo dia em que surgiram notícias sobre um novo documentário, Francesco, no qual o Papa Francisco discutia a homossexualidade e as uniões civis entre pessoas do mesmo sexo.

“Os homossexuais têm o direito de fazer parte da família. Eles são filhos de Deus e têm direito a uma família. Ninguém deve ser expulso ou se sentir miserável por causa disso”, disse ele, de acordo com  a Agência Católica de Notícias .

Ele acrescentou: “O que temos que criar é uma lei da união civil. Dessa forma, eles são legalmente cobertos. ”

A Agência Católica de Notícias (CNA) disse que os comentários do papa não eram sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas sim sobre o reconhecimento legal do casamento que garantiria os benefícios do casamento. Mesmo assim, seria a primeira vez: “Embora o Papa Francisco tenha discutido anteriormente as uniões civis, ele não endossou explicitamente a ideia em público antes”, disse a CNA.

“O endosso de uniões civis para casais do mesmo sexo é uma abordagem muito diferente para um papa, que representa um afastamento da posição de seus dois predecessores imediatos sobre o assunto”, disse a CNA.

JD Greear, presidente da Convenção Batista do Sul e pastor da Summit Church na Carolina do Norte, exortou os cristãos a buscar respostas na Bíblia.

“Não importa o que um papa, pastor ou autoridade eleita diga, não podemos definir a sexualidade ou a família, o Criador o faz, e sobre isso Sua Palavra não poderia ser mais clara”, disse Greear.

Ronnie Floyd, presidente e CEO do Comitê Executivo da SBC, concorda.

“Como batistas do sul, nossa autoridade sobre sexualidade e casamento é a Bíblia – a Palavra viva de Deus”, disse Floyd. “Nossa autoridade não vem de um homem ou grupo de homens e mulheres, mas somente da Bíblia. Quando a Bíblia fala, Deus fala. A Bíblia ensina que o casamento é a união de um homem e uma mulher em um compromisso de aliança por toda a vida.

“Outras religiões podem escolher outras autoridades para determinar suas crenças sobre casamento, família, sexualidade e outros assuntos da vida”, acrescentou Floyd. “No entanto, como batistas, acreditamos que a Bíblia tem Deus como seu autor, a salvação como seu fim e a verdade, sem qualquer mistura de erro, por seu conteúdo. Portanto, toda a Escritura é totalmente verdadeira e confiável. Não precisamos adicionar nada à Bíblia sobre casamento, família, sexualidade ou qualquer outra coisa porque a Bíblia é o tesouro perfeito de instrução divina de Deus.”

Russell Moore, presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa (ERLC) da Convenção Batista do Sul, também exortou os cristãos a confiar na Bíblia.

“Não sei exatamente como interpretar os comentários do Papa Francisco, mas sei que todas as alas da Igreja – Católica, Protestante, Ortodoxa – há 2.000 anos afirmam a visão de Jesus sobre o casamento: que o casamento é, desde o início, uma união entre um homem e uma mulher na fidelidade de um ao outro (Marcos 10: 6) ”, disse Moore. “A Bíblia também deixa claro que o casamento é um mistério que aponta para o evangelho, a união de Cristo e sua igreja ( Ef 5:31 ). Devemos tratar a todos com justiça e compaixão, incluindo aqueles de quem discordamos, mas nenhuma igreja tem autoridade para separar o que Cristo uniu na Palavra que ele nos deu”.

A Agência Católica de Notícias disse que as declarações do Papa Francisco “não negam ou questionam qualquer verdade doutrinária que os católicos devam ter ou acreditar”.

“Na verdade, o papa freqüentemente afirma o ensino doutrinário da Igreja a respeito do casamento”, disse CNA. “… as declarações do Papa Francisco em ‘Francesco’ não constituem ensino papal formal. Embora a afirmação do papa da dignidade de todas as pessoas e seu apelo ao respeito de todas as pessoas estejam enraizados no ensino católico, os católicos não são obrigados a apoiar uma posição legislativa ou política por causa dos comentários do papa em um documentário ”.

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui