Praga ‘bíblica’ atinge o Sudão, doença misteriosa também assola o país

Idosos e crianças de 1 a 14 anos, são as principais vitimas desta doença misteriosa, que veio junto com uma praga de proporções bíblicas.

Uma criança dentro de um hospital em Juba, Sudão do Sul (cortesia: Shutterstock)
Uma criança dentro de um hospital em Juba, Sudão do Sul (cortesia: Shutterstock)

Uma doença misteriosa, ainda não identificada, matou quase cem pessoas no Sudão, um país que já sofre com uma série de pragas de proporções quase bíblicas.

DOENÇA MISTERIOSA

Em novembro, o Ministério da Saúde do Sudão do Sul começou a relatar mortes por uma doença misteriosa que, até o momento, já matou pelo menos 97 pessoas, principalmente idosos e crianças de 1 a 14 anos. Em resposta aos relatórios, a Organização Mundial da Saúde (OMS ) enviou uma equipe de resposta rápida para investigar.

Os principais sintomas que as vítimas apresentam incluem diarreia, febre alta, dor nas articulações, vômitos, fraqueza corporal, perda de apetite e dor no peito.

INUNDAÇÃO: TEMPESTADE PERFEITA PARA DOENÇAS

A doença é simultânea a 18 meses das piores enchentes que o Sudão já experimentou em 60 anos, criando sérios riscos de aumento das doenças transmitidas pela água. As inundações devastadoras afetaram cerca de 835.000 pessoas e deslocaram 35.000, de acordo com um relatório da ONU .

Os cientistas da OMS tiveram que chegar à comunidade de Fangak de helicóptero devido à inundação, para realizar os testes.

O comissário do condado de Fangak, Biel Boutros Biel, disse à ABC News que algumas organizações não governamentais entregaram suprimentos médicos para Fangak e estão em processo de instalação de clínicas móveis para ajudar no tratamento de pessoas.

Em uma declaração no mês passado, o grupo humanitário internacional Médicos Sem Fronteiras chamou as enchentes de uma “tempestade perfeita” para surtos de doenças.

“As pessoas não têm água suficiente ou opções de armazenamento de água, e não há coleta de lixo, enquanto cabras e cachorros mortos apodrecem nos sistemas de drenagem”, diz o comunicado. “Com as condições ainda pioradas pelo afluxo de recém-chegados [aos campos], as pessoas correm maior risco de surtos e doenças transmitidas pela água, como diarréia aquosa aguda, cólera e malária.”

Reino de Kush atual

Ao sul do Egito, o Sudão moderno era referido na Bíblia como o Reino de Kush. Apesar do vizinho Egito, Kush foi poupado das pragas.  Êxodo Rabbah, capítulo 10, narra:

“As pragas que o Santo, bendito seja Ele, trouxe sobre o Egito fizeram as pazes entre eles. Como assim? Houve uma disputa entre os hamitas e os egípcios. Sempre que as rãs cruzaram para uma determinada área, tornou-se conhecido que o campo pertencia aos egípcios, e onde quer que as rãs não entrassem, esses campos não eram egípcios. 

Mas o Sudão moderno parece estar lutando contra as mesmas pragas que evitaram quando Israel foi escravizado no Egito. Antes da atual enchente, o Sudão sofreu três anos consecutivos de seca. No ano passado, gafanhotos cruzaram a fronteira, devastando o campo. Isso foi agravado por uma guerra civil que terminou em um cessar-fogo em fevereiro de 2020. 

Deixe sua opinião