Pastor Ciro Sanches Zibordi, faz uma análise sobre os boatos de que o pr. José Wellington teria dito que "se não tiver espaço pra mim, eu racho a igreja no meio".
Pastor Ciro Sanches Zibordi, faz uma análise sobre os boatos de que o pr. José Wellington teria dito que "se não tiver espaço pra mim, eu racho a igreja no meio".
Pastor Ciro Sanches Zibordi, faz uma análise sobre os boatos de que o pr. José Wellington teria dito que “se não tiver espaço pra mim, eu racho a igreja no meio”.

Em um texpo publicado na semana passada, no site da CPADNews, o pastor Ciro Sanches Zibordi, faz uma análise sobre os boatos de que o pr. José Wellington teria dito que “se não tiver espaço pra mim, eu racho a igreja no meio”. Leia abaixo na íntegra

Nesta semana, li em vários blogs, sites e redes sociais que determinado líder da Igreja Evangélica Assembleia de Deus teria dito: “Se não tiver espaço pra mim, eu racho a igreja no meio”. Em razão de eu conhecer muito bem tal líder, surpreendi-me com essa suposta afirmação e resolvi averiguar com diligência os fatos.

Muitos divulgaram a frase em apreço com grande destaque. E vários internautas — evangélicos e não-evangélicos —, no espaço de comentários, não economizaram nos adjetivos e impropérios contra o autor da suposta frase. Entretanto, verifiquei que todas as matérias dizem que “a frase teria sido dita pelo próprio líder, segundo sites e blogs de pastores da Convenção”.

Observe: “teria sido dita”. Mas onde está a prova de que a frase foi pronunciada? Veja o poder de propagação dos boatos pela grande rede! Alguns disseram que “fulano teria dito”, e outros propagaram que “beltranos teriam dito que fulano teria dito”. Em seguida, outros afirmaram que “sicranos teriam dito que beltranos teriam dito que fulano teria dito”…

Não estou dizendo que sou contra tal líder ou a favor dele — isso não tem relevância, nesta abordagem. Mas fico impressionado com a capacidade das pessoas de propagarem suposições, invencionices, etc. como se fossem verdades absolutas! E, com isso, caluniam e difamam! Quando Jesus disse: “Não julgueis para que não sejais julgados” (Mt 7.1), referiu-se ao julgamento calunioso ou difamatório. Haja vista Ele mesmo ter afirmado que devemos julgar segundo a reta justiça (Jo 7.24).

Segue-se que julgar segundo a reta justiça é julgar qualquer fato com honestidade, retidão, justiça, etc. Em contraposição, o julgar constante da primeira citação bíblica equivale a caluniar, difamar, julgar de maneira apressada, sem fundamento, propagar suposições como se fossem notícias verdadeiras…

Reflitamos, pois, sobre o nosso papel como cristãos formadores de opinião. E lembremos do que está escrito nas Escrituras, em Romanos 14.10 e 2 Coríntios 5.10, respectivamente: “Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo”; “Porque todos devemos comparecer ante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”.

Ciro Sanches Zibordi

Blog do Ciro / Portal Padom

Deixe sua opinião