O deputado federal e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), poderá ser excluído da Convenção Geral das Assembleia de Deus do Brasil (CGADB) e perder o título de pastor, por ter dado uma entrevista à revista “Playboy”,  na edição de abril.

O Sonho do Homem e o Projeto Missionário – Pr. @marcofelicianoO parlamentar tornou-se alvo de criticas no ano passado, após assumir a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara (CDHM). Durante o seu tempo de presidência, ele sofreu um enxurrada de criticas, provindas de simpatizantes do movimento LGBT do Brasil.

Em sua entrevista de oito paginas na publicação adulta, Feliciano comentou que no passado antes de sua conversão teve experiências com drogas, além de comentar sobre o homossexualismo e outros assuntos polêmicos sobre o sexo anal, criticas ao governo e do seu desejo de se tornar o presidente do Brasil.

No entanto, a entrevista não agradou alguns cristãos, sendo esse o motivo pelo qual a Convenção Fraternal das Assembleias de Deus no Estado de São Paulo (Confradesp), presidida pelo pastor José Wellington Bezerra da Costa, presidente da CGADB e da Assembleia de Deus em São Paulo, iniciou o processo de exclusão do religioso.

Caso o processo de exclusão permaneça o nome do parlamentar, que é líder da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento, deve ser encaminhado a CGADB e sua exclusão poderá ser votada em uma Assembleia Geral Ordinária (AGO).

Sobre sua entrevista o parlamentar afirmou que não poderia perder a oportunidade e que sua intenção não era estimular a compra da revista, mas atingir os leitores. “A revista perguntou se eu queria falar. Jamais perderia essa oportunidade. A entrevista com meu testemunho pessoal tem um alvo: os leitores daquela revista. E os crentes que fiquem em oração”, disse Feliciano.

O pastor Lelis Washington diz que o problema está na revista e não nas declarações de Feliciano. “Deixando de analisar a entrevista, não é essa literatura que recomendamos aos fiéis”, disse.

Feliciano já havia afirmado que é histeria dizer que sua entrevista estimulará os evangélicos a comprar a resta e que no máximo sua participação revelará o “caráter” de muitos cristãos.

A reunião que decidiu avaliar o comportamento de Feliciano ocorreu nesta terça-feira (6) e o procedimento pode levar a desde uma advertência a exclusão de Feliciano da CGADB. Caso o processo chegue a esta gravidade, os pastores deverão pedir o “descredenciamento pastoral”.

Marco Feliciano na Revista Playboy, e a atitude da CGADB, o que você acha disso tudo?

Portal Padom

Com informações Gospel Prime

Deixe sua opinião