Pode o cristão gostar de MMA? pastores divergem

3
214
Vitória de Anderson Silva sobre o arquirrival Chael Sonnen por nocaute técnico, no UFC 148 no dia 07/07/12
Vitória de Anderson Silva sobre o arquirrival Chael Sonnen por nocaute técnico, no UFC 148 no dia 07/07/12

Em meio à audiência histórica do UFC 148, em que Anderson Silva nocauteou Chael Sonnen e mais uma vez conquistou o cinturão do pesos médios, muitos evangélicos não acompanharam o evento por influência do líder religioso de sua igreja. Alguns pastores aconselharam os fiéis a não assisitrem à luta, devido não só à violência empregada como também à suposta ligação das artes marciais com o ocultismo.

O pastor da Assembleia de Deus em Cordovil Ciro Sanches Zibordi alertou para a relação entre as artes marciais mistas com o as práticas ocultistas orientais, bem como com o budismo pagão e espírita.

Para o líder religioso, o problema da modalidade esportiva não é só a violência, que depõe contra a prática. “O problema maior é que o cristão que se envolve com o MMA está, de alguma forma, ainda que não admita, se envolvendo com o ocultismo”, observa, e continua: “que o Senhor Jesus nos ajude, a fim de não nos conformarmos com este mundo”.

Já o pastor da Igreja Cristã da Aliança em Niterói Renato Vargens, se posicionou contra a proibição de assistir à luta da modalidade. “Diferentemente dos que se consideram donos do rebanho, acredito que proibir não é o melhor caminho no processo de edificação na vida espiritual do povo de Deus”, disse em uma postagem em seu blog.

Ele continuou argumentando que “assistir ou não UFC encontra-se na esfera da pessoalidade e não doutrinária, o que permite que o indivíduo decida segundo a sua consciência se deve ou não assistir as lutas em questão.”

Vargens ressalta que prefere o futebol ao MMA, mas isto isto não lhe dá o direito de ‘satanizar’ os combates ou mesmo de proibir os membros de sua igreja de assisti-los.

E alfinetou: “não quer ver, não veja, contudo não condene quem vê, nem tampouco espiritualize o que não deve ser espiritualizado.”

por: Jussara Teixeira

Gospel Voice / Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui