JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

apocrifo-evangelio-de-judasUm evangelho perdido que retrada Judas como um colaborador de Jesus, em vez de um traidor foi classificado como provavelmente verdadeiro em 2006.

Agora os cientistas têm revelado que o processo com o qual comprovaram sua autenticidade não só foi feita com analises de papiro e tinta, mas também tiveram que estudar em detalhe contratos de propriedade e certificados de casamentos do antigo Egito, conforme publicou web site La Tercera.

O Evangelho de Judas é um texto fragmentado escrito em linguagem copta que descreve um Judas muito destindo do retradado nos evangelhos da Bíblia. Nesta versão da historia, Judas entrega Jesus as autoridades para sua execução a pedido do próprio Jesus, como um plano para libertar seu espírito de seu corpo. Na versão aceita da Bíblia, Judas trai Jesus por 30 moedas de prata.

Como parte da investigação, Joseph Barabe do laboratório McCrone Associates e uma equipe de pesquisadores, analisaram a tinta do texto para descobrir se havia sido falsificado ou era

original. Após os analises, os especialistas descobriram que o documento estava escrito com uma mistura de cores preto e marrom A tinta preta é chamada de “lamp black” (carvão negro), e era consistente com as tintas utilizadas nas escrituras egípcias antigas do século III.d.C, no entanto a origem da tinta marrom que é chamada de “iron gall” (tintas ferrogálicas), era um grande mistério.

Algumas características do papiro indicavam que o documento era autentico. Uma das pistas mais importantes que Barabe entrou é que a tinta não estava empilhada no papiro enrolado, o que sugeria que o documento havia sido escrito muito antes de ser enrolado e que havia envelhecido naturalmente com o passar do tempo.

De acordo com os especialistas, estudando documentos como certidões de nascimentos egípcios e de propriedade de terras encontraram a origem da tinta marrom.

Os contratos no Egito no meio de S.III d.C eram escritos em tinta preta de carvão, da forma tradicional egípcia, mas também eram registrados oficialmente no estilo tradicional grego, utilizando a tinta marrom rica em ferro.

Este descobrimento, foi realizado com varias analises de antigos documentos guardados no Museu Louvre, foi a evidencia que a equipe necessitava para estabelecer uma estimativa da idade do evangelho de Judas e sua autenticidade.

Após esta analise, os especialista concluíram que o documento foi criado aproximadamente no ano 280  d.C. Segundo Barabe e seus colegas, a descoberta não indica estritamente que o documento seja autentico, mas que não há provas de que seja falso.

Portal Padom

Deixe sua opinião