Paulo Rogério Lima da Silva
Para a família, ficou a lembrança de um homem justo e crente em Deus

Com sintomas da gripe comum havia uma semana, o serviços gerais Paulo Rogério Lima da Silva, 45 anos, resolveu procurar um posto de saúde. Já com dificuldade para respirar, foi internado na Santa Casa de Caridade de Uruguaiana, onde permaneceu por 13 dias e morreu na madrugada do último dia 27.
Para família (esposa, quatro filhos e 12 irmãos), ficou a lembrança de um homem justo e crente em Deus. Paulo Rogério desde pequeno frequentava a igreja evangélica. A esposa, Ângela da Silva, comenta que tudo o que o marido mais gostava de fazer estava ligado à igreja:— Ele era muito conhecido no meio evangélico. Era da Assembleia de Deus, mas cantava os hinos de louvor a Deus em todas as igrejas evangélicas. Todos convidavam ele para participar dos cultos — fala a esposa, casada com Silva há 16 anos.
A irmã, Ronise da Silva, lembra com carinho do irmão:
— Minha mãe sempre falava que ele nunca deu trabalho. Ele era o irmão que não se metia em briga com ninguém. Somos em 13 ao todo e ele nunca brigou com ninguém — finaliza.
zerohora/padom

Deixe sua opinião