Paul McCartney: a ‘Religião da Sociedade de Consumo’

0
189

O cantor ex-Beatle Paul MacCarney fará mais uma apresentação no dia 22 de maio no Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, depois de ter se apresentado duas vezes em São Paulo e em Porto Alegre em novembro do ano passado. O músico retorna ao Rio depois de de 19 anos dos lendários shows no Maracanã.

Paul McCartney continua vivenciando grande popularidade entre os seus fãs que o chegam a compará-lo com “Deus.” Será que a cultura pop e os valores temporais ganharão da religião?

Adolescentes e jovens adultos seguem dando os seus testemunhos sobre o cantor como no show de São Paulo de 2010. Excitados e sem palavras para dizer sobre ele, eles ao menos tentam dizer que ele é um “fenômeno.” Culto à celebridades?

“Ele é Deus para mim, ele é tudo,” foi a declaração de uma adolescente em um vídeo de Paul McCartney divulgado no Youtube, em que ele faz saudações aos cariocas.

Na época do show no Maracanã, o cantor atraiu para 184 mil pessoas, chegando a ser o maior público pagante em um concerto de rock em estádio da história.

Na época de auge “beatlemania” as pessoas tratavam os integrantes do grupo Beatle, incluindo os seus colegas John lennon, Ringo Starr e George Harrison como salvadores com poderes religiosos. As pessoas faziam cultos à celebridade, como por exemplo no passado McCartney testemunhou dirigindo um trator uma mulher jogando seu filho deficiente na frente e quando entregue de volta pelas mãos de Paul, a mulher começou a gritar “ele ficou melhor, ele ficou melhor!”

Tentando lidar com situação em que os fãs fazem cultos aos artistas, uma das frases de Lennon foi, “Eles empurram para você como se você fosse o ‘Cristo’ ou algo asim, como se houvesse alguma aura sobre você que vai passar para eles. Parecia que estávamos cercados de deficientes e cegos o tempo todo, e quando passávamos pelos corredores, eles iam nos tocando.”

Interessantemente, uma das coisas que muitas celebridades declaram quando chegam no augue da fama a exemplo de John Lennon antes de ser baleado por seu fã é, “Eu não sou nada perfeito ou qualquer outra coisa e eles tem que saber disso.”

A popularidade das celebridades é tanta que chegam a ser comparados com Cristo.

Em princípios deste ano, pesquisa entre estudantes sobre quem seria um modelo a seguir para os jovens, Obama foi tão votado quanto Jesus Cristo. Além deles, os adolescentes citaram outras pessoas famosas e entre elas incluia Paul McCartney.

O presidente do grupo de pesquisa Barna, David Kinnaman, comentou nessa época que a fé e a religião não tem um papel grande na escolha dos modelos na opinião dos adolescentes.

Christian Post / Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui