Na tarde da última segunda-feira, 27, foi encontrado em um canavial na saída de Passos (MG) sentido a São João Batista do Glória (MG), o corpo de uma mulher. De acordo com a Polícia Militar, o corpo estava embrulhado em um lençol branco.

Mais tarde, a vítima foi identificada como sendo Elaine Barros, que estava desaparecida desde a última sexta-feira (24). Elaine, que era pastora evangélica, foi reconhecida pelo marido Gilberto Adriano de Oliveira, que em depoimento à polícia, disse que a levou em um posto de saúde na Avenida da Moda e que voltou para casa para buscar os documentos que ela tinha esquecido.

Segundo Gilberto, quando ele retornou ao posto não encontrou mais sua esposa no local. Ele disse ainda que ela estava com R$ 655 e que vinha se queixando de ameaças de um ex-namorado.

Em entrevista ao G1, o delegado Marcos Pimenta, responsável pelo caso disse que “Tudo está sendo apurado nos autos do inquérito policial. Não excluímos nenhuma possibilidade, mas a Polícia Civil já tem uma linha coesa de investigação”.

O delegado acredita que as câmeras de segurança instaladas na avenida ajudaram nas investigações. “Nós temos um olho-vivo ali também. E isso a gente vai colher o material na data de hoje, mas para verificar se a versão apresentada pelo marido é realmente a real”, explicou Pimenta.

O corpo de Elaine Barros foi enterrado na manhã desta terça-feira (28) no Cemitério Parque de Passos. Como estava em estado avançado de decomposição, não houve velório. Parentes e membros da igreja onde ela era pastora participaram apenas de um momento de oração.

“Ela era uma pessoa muito boa, muito querida. Então ela não merecia isso não”, disse, Maria Aparecida, mãe da pastora. “Eu quero que esse crime seja esclarecido e o culpa vai pagar por isso”, completou.

Leia também!  Pra. Priscilla Shirer, alerta que Satanás usará o coronavírus para atacar o povo de Deus

Portal Padom

Deixe sua opinião