Pastor Youcef Nadarkhani esta vivo, mas precisa tomar cuidado com possíveis armadilhas

Ayatollah Khamenei

 

Ayatollah Khamenei

Novos desenvolvimentos em relação Pastor Youcef Nadarkhani, o pastor cristão condenado à morte no Irã, pode ser um esforço para que  Ayatollah Khamenei  pega-lo em uma armadilha.

Nossos contatos nos avisaram que os agentes do Ministério de Inteligência e Segurança Nacional do Irã, comumente referido como Segredo de Segurança do Irã, visitou Pastor Youcef na cadeia e lhe forneceu impressos de propaganda islâmica. Esta propaganda continha informações a respeito de porque, de acordo com o Irã, o Islã é a única fé verdadeira. Os agentes solicitaram que o pastor Youcef lesse e refletisse sobre os materiais, instruindo-o de que eles voltariam para discutir o material com ele em uma data posterior.

Não está claro se esta visita foi uma tentativa de armadilha, para que o Pastor Youcef venha dizer alguma coisa contra o Islã, portanto, sujeitando-a as punições adicionais por blasfêmia, ou se que se os agentes estavam tentando acabar com o escândalo internacional, permitindo ao Pastor Youcef outra oportunidade de renegar sua a fé cristã e optar por se juntar à fé islâmica.

Podemos estar certos, no entanto, que esta evolução é o resultado da crescente pressão internacional sobre o regime iraniano com o caso Pastor Youcef.

Apesar dos melhores esforços do Irã para manter o sigilo, estamos felizes em informar que nossos contatos no Irã disseram que o pastor esta vivo. Suas orações e apoio ao Pastor Youcef estão sendo ouvidas em todo o mundo e apesar das condições horríveis no Irã, Pastor Youcef se encontra com boa saúde, física, emocional e espiritual.

A pressão internacional contra o regime iraniano continua – mas deve ser sustentada até que o Pastor Youcef seja libertado incondicionalmente. Com o vosso apoio não vamos dar ao regime iraniano o que eles desejam – o silêncio da comunidade internacional. Vamos continuar a colocar pressão sobre funcionários do governo e as sobre as  Nações Unidas para continuar a pressionar o Irã sobre o sua indiferença descarada aos direitos humanos.

Fonte: ACLJ

Tradução Portal Padom

Deixe sua opinião