Pastor revela que foi abusado quando criança – ‘Eu conheço a vergonha’

‘Eu conheço a vergonha’, diz pastor Monty Watherall sobre os abusos que sofreu na infância.

0
545
pastor abuso abusado sexualmente criança
‘Eu conheço a vergonha’, diz pastor Monty Watherall sobre os abusos que sofreu

O pastor Monty Weatherall e sua esposa Kimberly, se veem como um time, tanto em casa, na igreja ou na academia.

Kimberly ajudou seu marido a enfrentar a sua obesidade, juntando-se regularmente a ele nos treinos em uma academia, que como resultado ele perdeu cerca de 40 quilos.

“Eu entrei lá bem mais de 140 – mais de 145 quilos “, lembrou Monty.

Mas sua amada esposa lhe serviu como uma rocha de apoio quando ele teve que enfrentar  o momento mais difícil de sua vida, nas profundezas do desespero.

“Eu tomei a decisão de acabar com a minha vida”, contou Monty ao narrar sua história para a CBN News. Essas palavras atingem sua esposa como “uma tonelada de tijolos“.

Escondendo um segredo doloroso

Monty resistiu em receber ajuda porque se sentia mais confortável oferecendo ajuda e encorajamento como pastor de uma igreja no sudoeste de Illinois, nos arredores de St. Louis.

No entanto, quando se tratava de seus problemas pessoais, ele não conseguia navegar na tempestade que se formou dentro de si.

“De quatro a sete anos de idade, fui abusado ao longo de três anos por dois parentes do sexo masculino”, recorda o pastor Monty.

Temendo represálias, ele nunca relatou o abuso. Em vez disso, ele escondia a dor, fingindo ser outra pessoa.

“Para o resto da minha vida, comecei a interpretar esses personagens diferentes, porque eu estava tão desconfortável em ser eu mesmo”, explicou ele.

Funcionou até que o único personagem que restou foi o homem no espelho.

Eu não percebia que em algum nível eu estava me culpando“, disse ele. “Mas eu tive que me dar permissão para perceber que não era minha culpa.

Ele disse à CBN News que finalmente superou os pensamentos de suicídio, “vi isso como um ponto de virada que marcou o início de uma longa jornada.”

Caminho para a Recuperação

O caminho de Monty para a recuperação começou com um foco em sua aparência externa. “Resolvi entrar em forma, estabelecendo uma rotina física controlada para ajudar a estabelecer uma base para sua cura emocional”, conta.

“Eu penso psicologicamente, como eu estava sendo torturado como uma criança pelos abusadores, eu tentei esconder tudo isso. E durante grande parte da minha vida adulta, com excesso de peso, fora de forma, tomei a decisão de que, como parte da minha vida, eu precisava recuperar meu corpo”.

Monty encontrou um ex-pastor que virou seu conselheiro, que o guiou através de sessões difíceis, recordando as memórias da primeira infância.

Semelhante às mulheres que sofreram abuso sexual, a grande maioria tiveram o processo de recuperação dos traumas após se tornarem adultas.

“A maioria das mulheres que vejo violadas quando crianças não estavam prontas para iniciar o processo de cura pelo menos trinta anos”, explicou Candace Wheeler, conselheira profissional licenciada especializada em tráfico sexual em sua clínica nos subúrbios. Washington D. C.

De #MeToo a #ChurchToo e os abusos sexuais nas igreja evangélicas

O movimento #MeToo mostrou que poucas comunidades, se é que existem, estão imunes ao abuso sexual na infância.

Escândalos de abuso sexual atormentaram a Igreja Católica por décadas, agora eles estão atingindo círculos evangélicos, provocando uma nova campanha de mídia social: #ChurchToo.

Por mais desafiador que seja Wheeler acredita que as revelações podem ajudar as igrejas a lidar com o abuso sexual e alcançar as vítimas.

“O que estamos vendo é que a comunidade como um todo começa a pelo menos estar disposta a falar sobre essa conversa”, disse Wheeler, cujo ministério sem fins lucrativos R1: 99 trata mulheres que foram vítimas de tráfico sexual.

“Eu acho que o movimento #MeToo está ajudando alguns pastores a perceberem que temos muitos sobreviventes em nossas igrejas, e o que estamos fazendo e o que podemos fazer para ajudá-los a se curar?” ela perguntou

É uma questão que motiva o pastor Monty Weatherall.

Eu conheço a vergonha. Conheço a coragem necessária para aquelas mulheres e aqueles homens que estão saindo para dizer ‘Isso aconteceu comigo’“, disse o pastor Monty.

Com um foco pesado na reforma da justiça e nas histórias de redenção, Monty se preocupa que os cristãos possam estar negligenciando a vítima.

Fico feliz quando a redenção autêntica está acontecendo. Isso é ótimo”, disse. “Mas não podemos esquecer aqueles meninos, aquelas meninas, aqueles homens, aquelas mulheres que foram abusadas.”

Uma vida recuperada e próspera

Eu escrevi um livro, Taking My Life Back, especificamente escrito coma uma vítima em mente. Ele documenta como Monty passou de pensamentos suicidas a prosperar – e até mesmo perdoar seus agressores.

“Para mim, começou com uma decisão. Eu vou ser curado”, explicou ele, acrescentando por que ele tomou a decisão de perdoar. “Meus abusadores: eles não sabiam quem eu iria me tornar. Eles não sabiam que eu me tornaria um pastor que ajudaria milhares. Eles não sabiam que eu mesmo iria testemunhar para eles e levá-los a Cristo e batizar um deles”, continuou.

Para Kimberly, ela disse que o casamento deles é mais forte agora e está mais feliz do que nunca.

“Às vezes eu olho para ele e nem penso que seja a mesma pessoa com quem me casei”, explicou ela. “Ele era maravilhoso, mas agora é maravilhoso, saudável e completo.”

Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui