Início Noticias Gospel Internacional Pastor revela como seguir Jesus fez ele abandonar a homossexualidade

Pastor revela como seguir Jesus fez ele abandonar a homossexualidade

Hoje Ken Williams, é pastor da Bethel Church, testemunha em livro como deixou de ser gay, para ajudar as pessoas insatisfeitas com a homossexualidade.

0
157
Pastor Ken Williams, testemunha como foi liberto da homossexualidade
Pastor Ken Williams, testemunha como foi liberto da homossexualidade

Ken Williams, pastor da Igreja Bethel em Redding, Califórnia, abriu uma nova entrevista sobre como seguir a Jesus o levou para “longe” da homossexualidade.

Casado, pai de quatro filhos, falou sobre seu novo livro, “How I Followed Jesus Away From Gay”, (A Jornada: Como Segui Jesus e Deixei de Ser Gay), com Virginia Allen do Daily Signal.

Williams, que começou a lidar com um impulso para a homossexualidade durante sua infância, disse que se lembra de sentir como se não “se encaixasse” com outros meninos de sua idade, reconhecendo que era menor e não tinha as mesmas proezas atléticas de seus colegas .

Somando a isso, a uma infeliz exposição ao que ele descreveu como “pornografia gay hardcore”, que o levou por um caminho destrutivo.

“O que testemunhei me fez perder o respeito pelos homens”, disse Williams. “Porque, obviamente, não irei descrever o que eu vi, mas… é pior do que você imaginaria. E realmente, desonra e degradação é o que eu testemunhei… Eu já estava lutando porque eles zombaram de mim e eu estava tendo problemas para acompanhar”.

Foi durante essa época em que lhe mostraram pornografia gay, que alguns meninos começaram a “tocá-lo”, uma situação que despertou no agora pastor uma séria luta contra o sentimento de vergonha.

Williams disse que dedicou sua vida a Jesus quando tinha apenas 8 anos de idade, mas admitiu que lutou para entender Deus no contexto de suas experiências.

Por anos, ele lutou sozinho.

O pastor lembrou-se de ter procurado sua identidade em outros homens, e “aquela busca por me encontrar em outra pessoa se tornou sexualizada porque minha primeira sexualização foi nas mãos de apenas homens”, ele explicou.

Foi só quando Williams completou 17 anos – e lidando pensamentos suicida – que ele finalmente conversou com alguém, um pastor de jovens, sobre o que estava passando.

O ministro da juventude, confrontado com o que Williams havia passado, disse ao então adolescente que ele não era gay, apesar de como estava se sentindo.

Logo depois disso, por sugestão do pastor de jovens, Williams contou a seus pais.

“Nós meio que choramos e compartilhamos e tudo mais”, disse ele. “Minha vida começou naquele momento.. Você nunca conhecerá o amor incondicional até que você compartilha sua condição pela primeira vez.”

Isso resultou em vários anos de terapia intensa para processar e trabalhar não apenas sua inclinação para a homossexualidade, mas também as questões que o levaram a esse ponto, como o abuso sexual e a pornografia.

Grande parte da cura de Williams está enraizada no fato de que ele estava – e está – convencido de que Deus não abandona as pessoas em suas lutas.

“Deus deu instruções nas Escrituras sobre a sexualidade, e se Ele tivesse dito que a homossexualidade não é tolerada, é considerado pecado, então Ele deve ter uma solução para isso”, disse ele a Allen. “Porque Ele não é louco, Ele é bom. Ele não é diabólico. Portanto, se Ele diz que algo está errado, certamente, Ele tem uma solução ”.

Williams escreveu um livro sobre sua jornada para a fé em Deus e como deixou para longe a imoralidade sexual.

Ele disse que o livro é para pessoas que “querem uma saída” do estilo de vida LGBT.

“Não estou falando para as pessoas que estão satisfeitas com a vida LGBTQ”, explicou ele. “Para aqueles que pensam ‘isso parece impossível’, ‘eu me sinto desconectado de Deus por causa disso’, estou dizendo: não tem que ser assim.”

Deixe sua opinião

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui