Pastor David Platt

JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

O Pastor David Platt visitou recentemente a fronteira entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul, orando pelos crentes perseguidos do lado de fora de uma igreja demolida e dentro de um túnel secreto.

Platt, que lidera a McLean Bible Church em Washington, DC, e serve como presidente do Conselho de Missões Internacionais, cargo do qual ele disse que renunciará, publicou na quinta-feira vários videoclipes dele orando pelos cristãos no regime mais opressivo do mundo.

Em um vídeo postado on-line gravado na Zona Desmilitarizada na Península da Coreia, Platt revelou que ele estava do lado de fora de um prédio da igreja que foi destruída pelos comunistas, que ocorreu “todos os tipos de tortura e assassinato” lá dentro.

A história remonta a antes mesmo da aquisição comunista“, revelou ele.

Quando o Japão estava governando aqui, e o pastor desta igreja se recusou a participar da adoração ao santuário, o pastor foi martirizado. Bem atrás de mim está uma imagem de santos fiéis que no último século adoraram a Cristo e pagaram com suas vidas. É uma lembrança dos edifícios da igreja como este em toda a Coreia do Norte”, disse ele, observando que todos foram destruídos, ou convertidos para serem usados ??para outros propósitos.

O pastor pediu, como parte de sua oração, que “as portas do Inferno não possam prevalecer contra a Igreja de Jesus Cristo“.

Em um clipe de acompanhamento no Twitter, Platt revelou que ele estava dentro de um túnel que os norte-coreanos haviam cavado na tentativa de entrar na Coréia do Sul.

As teorias são de que eles estavam se preparando para um ataque furtivo, ou esse tipo de coisa“, disse ele.

Acima deste túnel há uma fronteira enorme que é extremamente difícil de atravessar“, acrescentou.

As pessoas não alcançadas não são alcançadas por uma razão“, observou Platt, exortando os cristãos a “orar pela propagação do Evangelho de qualquer maneira possível“.

Em um post no site Radical.net antes de seus três dias de pregações na Coréia do Sul, Platt exortou os cristãos a orarem por seus irmãos e irmãs perseguidos.

Deus, em lugares onde é perigoso proclamar a sua Palavra, nós oramos que você lhes dê graça e ousadia para proclamá-la. Corajosamente, com sabedoria, humildemente, Deus, sabendo que há risco para suas vidas nisso, por favor, oh Deus, ajude-os “, ele perguntou em sua oração.

Por favor, fortaleça-os. Deus, enquanto a perseguição vem, oramos que você fique ao lado deles, esteja com eles, entregue-os. Deus, oramos, por favor, ajude-os. Por favor, ajude-os, para que Sua Palavra fosse adiante no Norte da Coréia. Deus, por favor, ajude nossos irmãos e irmãs a não ficar em silêncio com a Sua Palavra na Coréia do Norte. Ajude-os a saber como compartilhá-la“, ele pediu.

O grupo de vigilância de perseguições “Portas Abertas dos Estados Unidos”, que lista a Coréia do Norte como o pior lugar para os cristãos do mundo, recentemente ofereceu uma análise sobre por que o líder Kim Jong Un continua “com medo” da religião.

“É provável porque as pessoas que estão seguindo Jesus e que estão comprometidas com Ele, significam que existem pessoas que ele não pode controlar e que seguem um Rei maior. Isso significa que há pessoas que praticam um amor radical um pelo outro e por Jesus – que não o seguirá tão facilmente e as mentiras do seu regime”, disse o grupo.

É por isso que os cristãos continuam a ser vistos como ‘perigosos’ e também fazem parte da classe hostil, de acordo com o sistema social do país chamado songbun. O que isto significa é que qualquer um que seja conhecido como seguidor de Jesus é imediatamente tachada como uma figura política hostil”.

Os cerca de 300 mil cristãos na Coréia do Norte são forçados a praticar sua religião em total segredo, com incontáveis ??números enviados a campos de prisioneiros e até executados por sua fé, alertou o ministério cristão.

Deixe sua opinião