queniaA organização Portas Abertas, informou que dois pastores foram atacados com armas de fogo no Quênia, um deles morreu. Eles são lideres da Igreja Pentecostal da África Oriental, Ibrahim Makunyi e o pastor Abdi Welli, foram atacados na manha desta quinta-feira por um grupo de homens armados.

O incidente ocorreu na cidade de Garissa, quando os pastores foram emboscados por extremistas. O pastor Welli foi declarado mordo ao chegar no hospital, enquanto Makunyi está em estado estável e fora de perigo.

“O ataque de hoje é o último de uma crescente violência, especialmente na área de Garissa. O Portas Abertas relatou que 22 cristãos foram assassinados em incidentes no ano passado e mais de 100 foram gravemente feridos ou mutilados“, disse o porta-voz do Porta Abertas no Estados Unidos, Jerry Dykstra.

O pastor Wellis havia sido discípulo de Makuni, era casado e tinha três filhos pequenos, informou o Portas Abertas.

Uma cidade dominada pelo extremismo

Garissa é uma cidade assolada pela violência no noroeste do Quênia. O grupo extremista islâmico Al-Sabaab, tem mantido durante muito tempo ataques constantes contra igreja e aos cristãos na região.

O aumento do terrorismo no Quênia o colocou pela primeira vez na lista de Observação Mundial  sobre a perseguição religiosa, colocando-o em 40º lugar no ranking. O Quênia é classificado como um dos lugares onde os cristãos sofrem perseguição moderada.

Os ativistas observam atentamente o que pode acontecer neste país, logo após as eleições presidencial agendada para o próximo dia 04 de março. A Organização Portas Abertas, teme que a violência aumente conforme se aproxima os comícios. – cbn

Portal Padom

Deixe sua opinião