A Índia viu um aumento repentino de ataques a cristãos, à medida que mais pessoas circulavam desde que o bloqueio do coronavírus COVID-19 foi suspenso.

De acordo com a International Christian Concern (ICC), oito ataques separados ocorreram em duas semanas envolvendo grupos nacionalistas hindus radicais que estão agredindo fisicamente os cristãos e danificando suas propriedades.

O incidente mais recente ocorreu em 21 de junho, onde um pastor estava orando por uma pessoa doente na vila de Kolonguda.

Uma multidão de 150 pessoas invadiu a casa do pastor Suresh Rao, depois o arrastou para fora e o espancou severamente. 

Eles me chutaram como se chutassem uma bola de futebol“, disse o pastor Rao. “Eles me arrastaram para a rua e me empurraram para o chão. Lá, começaram a pisar em mim. Eles rasgaram minhas roupas, me chutaram por todo o corpo e socaram meu olho esquerdo. Sofri uma lesão ocular grave como resultado de um coágulo de sangue“.

O pastor foi acusado de tentar converter hindus ao cristianismo. 

Eles disseram que a Índia é uma nação hindu e que não há lugar para cristãos“, explicou Rao.

Estou preparado para esse tipo de eventualidade“, explicou o pastor Rao. “Conheço o custo de servir a Jesus nessas aldeias remotas e continuarei a servir as pessoas desta região”.

Outro incidente ocorreu no estado indiano de Tamil Nadu, onde uma igreja foi reduzida a cinzas, deixando 100 cristãos sem casa de culto.

Fiquei tão angustiado e com dores no coração”, disse o pastor Ramesh, pastor da Igreja da Paz Real. “Foi um trabalho árduo por 10 anos construir a igreja. Todo o trabalho árduo e doações de sacrifício dos pobres membros da congregação foram derrubados no chão. Tudo o que resta são cinzas”.

Nos últimos dez anos, radicais me disseram várias vezes para fechar a igreja. Pela graça de Deus, fui capaz de suportar todas essas dificuldades e abusos, mas desta vez é uma devastação total“, acrescentou o pastor. 

E em 13 de junho, os radicais ameaçaram os membros da Igreja Evangélica Leigos enquanto eles estavam montando a igreja para reabrir depois de ficarem presos. 

O pastor Augustine disse que os radicais estavam dizendo aos cristãos que orar ou se reunir na igreja era proibido e que os cristãos haviam causado a propagação do vírus. 

Não sabemos o que o futuro reserva“, disse o pastor Augustine. “No entanto, estamos preocupados que os radicais não nos permitam ter um culto na igreja”.

Os cristãos indianos temem que a perseguição continue à medida que mais pessoas começam a emergir do bloqueio do COVID-19.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia