Carl-Lentz-pastor-megaigreja-hip-hop

Carl-Lentz-pastor-megaigreja-hip-hopCarl Lentz, com metade da cabeça raspada, e penteado para trás, vestindo sua roupa de costume aos domingos, com seus braços tatuados é pastor da Igreja Hillsong da cidade de Nova York, onde oferece pelo menos seis sermões a cada domingo em uma sala de concertos, onde tem se apresentado U2 e Red Hot Chili Peppers, segundo informou o Jornal Yucatan.com.mx.

As pessoas se acomodam em qualquer espaço que encontrar e tomam notas em seus iPhones enquanto Lentz caminha pelo cenário fazendo seus sermões com versículos da Bíblia, piadas, letras de musicas e  gírias. “Se você é novo em nossa igreja, te amamos”, diz Lentz de 34 anos. “Não te assustes com as coisas loucas que você verá. Alguém disse uma vez: ‘Estão todos loucos em tua igreja’ e eu perguntei, ‘Você nos viu dançando bêbado? Não nos julgues na igreja'”.

Nos últimos anos, Nova York se tornou em um imã para novas igrejas evangélicas. Atualmente existem 200 apenas em Manhattan, segundo Tony Carnes, do projeto de pesquisa “Uma viagem através das religiões da cidade de Nova York“, e a Hillsong é uma das que mais cresce rapidamente.

Em apenas dois anos de atividade, estima-se que a Hillsong congrega 5.500 pessoas todas as semanas nos cultos aos domingos. Multidões em fila é uma cena comum na Plaza Irving. Com frequência a Hillsong deve adicionar culto a tardes, que podem durar até a noite.

Hillsong é mais conhecida por seus cenários tipo concerto, onde se toca rock cristão, hip hop e musica de louvor, com frequência atraindo assim fieis mais jovens.

A Hillsong não é a primeira igreja que tenta ganhar uma população jovem, mas poucas foram capazes de fazer como ela tem feito, diz Carnes. No entanto, é suscetível aos caprichos de qualquer igreja progressiva e esta latente o perigo de que a cultura moderna ofusque a mensagem, adverte.

“Esta igreja sempre será de Jesus”, disse Lentz em um sermão recente.

O pastor rejeita falar sobre os casamentos entre pessoas do mesmo sexo, muitos pastores evangélicos que iniciam igrejas em Nova York evitam abordar sobre o assunto a partir do púlpito, decisão que tem motivado criticas de seus líderes religiosos, que o consideram um dos mais importantes para os crentes tradicionais.

Lentz afirma que gosta das criticas: “Me dão combustível para o fogo”.

Portal Padom

Deixe sua opinião