Início Noticias Gospel Brasil Pastor da Assembleia de Deus Madureira celebra primeiro casamento gay?

Pastor da Assembleia de Deus Madureira celebra primeiro casamento gay?

Pastor da Assembleia de Deus de Madureira, celebra casamento comunitário, onde entre os casais houve também casamento gay

6663

Aconteceu na noite da última quinta-feira, 23, a segunda edição do Casamento Comunitário em Cataguases, MG. Onde 86 casais oficializaram sua união civil, no projeto idealizado pela Defensoria Pública de Minas Gerais e que foi abraçado pela Defensoria Pública da Comarca de Cataguases.

Participaram do evento várias autoridades, como prefeito municipal Willian Lobo de Almeida, o defensor público geral de Minas Gerais, Gério Patrocínio Soares, o vereador Vinícius Machado, a secretária de Desenvolvimento Social, Mirilane Licazali, os defensores da Comarca de Cataguases, Davi Campos, Bruno Jardim, Wilson Hallack, além de Eliana Spíndola e outas autoridades e influentes da sociedade.

Para celebrar esse momento tão importante foi realizado um culto ecumênico, que contou com a presença de Roosevelt Pires, representando a doutrina Espírita, o Pr. José Mauro da Silva Filho representando os evangélicos e Sérgio Narciso, ministro da Igreja Católica.

Cada líder religioso, teve a oportunidade de fazer sua pregação, onde ressaltaram o amor, respeito e cidadania.

O que a Assembleia de Deus Madureira diz sobre esse casamento gay?

No entanto após este evento, o pastor evangélico tornou-se alvo de polêmica, pois durante este evento acabou sendo realizado dois casamentos homoafetivo.

O polêmico site especializado em fofocas, O Buxixo Gospel, em uma matéria acusa o pastor que é ligado a Assembleia de Deus de Madureira em realizar o primeiro casamento gay e Minas Gerais.

Segundo a publicação, a discussão ganhou redes sociais e dividiu os fiéis pelo fato das Assembleias de Deus de Madureira de linha pentecostal rígida, ter abençoado o primeiro casamento homossexual da cidade.

Ao final da cerimônia o pastor evangélico José Mauro da Silva Filho, disse para reportagem do Site Mídia Mineira que se sentiu honrado em participar de festa tão extraordinária e brilhante. “Sem sombra de dúvida, ficará marcada não somente na história da nossa cidade, mas principalmente na vida de cada um que foi participante, coparticipante ou colaborador indireto ou diretamente desta festa maravilhosa, que este possa ser o segundo de muitos eventos que vão ser realizados para louvor e glória do Senhor Jesus“.

Em relação as bênçãos da igreja evangélica a casais homoafetivos, o pastor disse que prefere pedir a Jesus Cristo que possa abrir o entendimento das pessoas e que todos possam viver a luz da palavra de Deus. “A palavra de Deus é a bússola que nos conduz e nos leva a morar na eternidade e em um céu de glória que Jesus tem preparado para todos nós”, disse.

É um absurdo! Depois que o casamento foi abençoado não tem mais volta, esse fato vai ficar na história da cidade pelo resto da vida e ainda com o risco de virar jurisprudência e serem obrigados a realizar tal união nas igrejas pois, no jornal saiu que o pastor representava as denominações evangélicas”, disse João Roberto, membro de uma igreja evangélica da cidade.

A publicação diz ainda, que o pastor presidente da igreja, Nelquiades Fernandes teria autorizado o seu obreiro o pastor José Mauro, acreditando ser um casamento tradicional, e que o que aconteceu fez parte de uma armadilha.

Em sua página oficial no Facebook Nelquiades Fernandes, na manhã desta terça-feira, publicou uma nota onde explica o que ocorreu:

Nota de esclarecimento – Em virtude de um casamento comunitário na cidade de Cataguases-MG, um obreiro da Igreja foi convidado a participar do evento, assim como várias outras autoridades eclesiásticas. A seleção dos postulantes ao casamento é feita pelo órgão público, não havendo qualquer intervenção de terceiros. A presença do obreiro teve o objetivo de abençoar os casais que se uniram conforme os preceitos e ordenanças das Sagradas Escrituras: “Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão uma só carne.” Gn 2.24. Está é e sempre continuará sendo a posição da Igreja, “casamento de um homem com uma mulher”. A Bíblia é a nossa infalível e inerrante regra de fé! Deus abençoe a todas e que as Bênçãos do Senhor estejam sobre todos aqueles que andam em obediência a sua Palavra. Pr. Nelquiades Fernandes

Deixe sua opinião