Pastor Adventista tornou-se ateu, após experiência de viver sem Deus, ou seja, sem oração, sem leitura da Bíblia. Sabia mais como foi isso.

Noticias Gospel – No inicio de 2014, o pastor Ryan Bell, da Igreja Adventista na Califórnia, anunciou que iria viver um ano como ateu e que escreveria um blog para contar a sua experiência.

O ministro havia pastoreado igrejas durante 19 anos, até que recentemente se tornou professor em duas universidades cristãs e, em seguida, prestou consultoria para as igrejas.

Depois de 42 anos, disse que queria saber como é “viver sem oração, sem ler a Bíblia ou simplesmente não pensar em Deus.” Após este anúncio, a universidade o demitiu.

Pastor Adventista tornou-se ateu, após experiência de viver sem Deus, ou seja, sem oração, sem leitura da Bíblia. Sabia mais como foi isso.Uma campanha foi criada pelos movimentos humanistas para ajudar Bell, levantando cerca de US $ 27.000. Ele agora está trabalhando no PATH, uma organização sem fins lucrativos dedicados a alimentar e ajudar pessoas desabrigadas.

Em entrevista à NPR, rádio com grande audiência americana. Entre outras coisas, ele disse que está sendo criticado por muitos cristãos, que o acusam de misturar os seus problemas com a igreja com os propósitos de Deus. Outros dizem que ele nunca nasceu de novo. Há grupos que o acusaram de ser ateu, mas que criou um “golpe publicitário” para ganhar popularidade.

Depois de meses de 11 e meio, diz Bell, “Eu não acredito que Deus existe. Eu acho que faz mais sentido as evidencias que tenho e minha experiência.”

É uma expressão de uma parte de mim que não mudou. Eu ainda sou a mesma pessoa, basicamente, que era antes. Eu me importo com justiça e igualdade, e quero ver a igualdade de oportunidades em nossa sociedade”, disse ele.

Reconhece que o ateísmo é “um ajuste estranho”, e tem dificuldade para caminhar com seus antigos amigos cristãos. “Antes eu queria um relacionamento mais íntimo com Deus, e agora eu só quero um relacionamento mais próximo com a realidade“, disse ele.

Portal Padom

Deixe sua opinião