Papa Francisco: Virando o mundo católico de cabeça para baixo

Se a igreja católica através do Papa Francisco não considera a homossexualidade como pecado, então por que negar aos gays o direito de se casar e viver como uma família?

0
410

Papa Francisco, chama a si mesmo de seu modelo, São Francisco de Assis, e segue estritamente seu edital “onde há desespero, deixe-me levar esperança…” Ele também é um jesuíta que imita o santo guerreiro Inácio de Loyola ao se levantar como um verdadeiro soldado para lutar contra a injustiça neste mundo.

Entre as muitas reformas sociais que introduziu durante seu papado, uma se destaca por sua coragem e compaixão. Francisco foi um ousado defensor dos direitos dos homossexuais. Ele apoiou a causa dos gays a quem chama de “filhos de Deus”. Ele cortejou a oposição de seus colegas. Ele ganhou a desaprovação de membros conservadores da igreja.

Agora, ao articular a última reforma que estende o apoio aos casamentos civis do mesmo sexo entre seu “rebanho”, o Papa Francisco finalmente virou a Igreja Católica Romana de cabeça para baixo. Ele chocou seus seguidores em todo o mundo e cortejou o descontentamento de seu clero.

Embora todos estivessem plenamente cientes de sua empatia por pessoas com uma orientação sexual diferente, esta é a primeira vez que ele declara abertamente suas opiniões surpreendentes sobre o casamento deles. Se a igreja desaprova os casamentos do mesmo sexo, e seus membros conservadores vêem esta última declaração papal como um desvio dos valores aceitos da igreja, ele provavelmente não se importa.

Como seus muitos outros afastamentos não convencionais das práticas ortodoxas, este chefe moderno do Vaticano parece pronto para melhorar uma instituição que se tornou decrépita e inadequada para mudar a ordem mundial. Se a igreja não considera a homossexualidade como pecado, então por que negar aos gays o direito de se casar e viver como uma família, é o argumento do papa que dificilmente pode ser questionado.

É de se perguntar se seus 1,3 bilhão de seguidores aceitarão seus pontos de vista sobre esse assunto delicado e sua repercussão nas práticas da igreja. Os católicos que seguem os preceitos estabelecidos por sua igreja e, ao mesmo tempo, devem uma forte fidelidade à sua autoridade máxima estão agora presos em uma situação complicada. Acreditando por gerações que o Papa é seu guia espiritual indiscutível e mentor cuja palavra é lei; e, também acreditando que não devem violar os ensinamentos da Igreja, que é seu pilar de sustentação moral, eles agora estarão em um dilema com um trabalhando contra o outro para demolir sua ética milenar.

Papa Francisco o Mentor espiritual

Eles não podem descartar essas crenças nem desobedecer a seu mentor espiritual. Francisco abalou o próprio alicerce da fé e da moralidade nos seguidores do catolicismo romano com suas ideias revolucionárias. Ele literalmente encurralou seus seguidores com seu último decreto. Eles seguem os dogmas praticados em sua igreja por séculos? Ou obedecem ao seu líder espiritual a quem juraram fidelidade?

Mais uma vez, as declarações do papa desde que ele assumiu o cargo aparentemente se contradizem. Isso deu margem a seus críticos para questionar seus pontos de vista sobre assuntos delicados como este. Por exemplo, ele publicou um livro em 2010 onde afirma que “o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um enfraquecimento de uma instituição que existe há milhares de anos …”.

Isso significa que ele mudou de opinião sobre o assunto? Ou que ele se tornou mais tolerante e se livrou de seus preconceitos? Embora, mesmo naquela época, ele fosse conhecido por ter convocado seus colegas bispos a apoiarem as uniões civis entre homossexuais como um compromisso viável que elesha viam recusado categoricamente. Em 2013, porém, quando foi ordenado papa, Francisco foi mais categórico.

Em 2014, o papa recém-ordenado afirmou calmamente que há um fluxo de corrupção nas igrejas, incluindo um lobby gay! Em 2016, Francisco voltou ao seu assunto preferido. “Quando uma pessoa que é gay chega antes de Jesus, Jesus certamente não dirá: ‘Vá embora porque você é homossexual?” ele disse a um público atordoado. Em 2019, ele foi brutalmente franco e declarou que as tendências lésbicas “não são um pecado”. 

Papa Francisco defensor dos homossexuais
Papa Francisco defensor dos homossexuais

No entanto, esteja o papa afirmando o dogma da Igreja ou expressando suas opiniões pessoais, há tanta compaixão em suas declarações e ações que o diferenciam no clima sufocante do Vaticano. Seus paroquianos LGBT, há muito acostumados a zombar e desdenhar do clero, encontraram em Francisco um amigo que jurou nunca abandoná-los.

O último movimento nessa direção é a nomeação de um afro-americano para a posição exaltada de cardeal. É uma reiteração dos ensinamentos de Cristo que exortou seus seguidores a mostrar mais compaixão para com o “leproso, o mendigo, a mulher caída”. Francisco implora a mesma compaixão pelas lésbicas, as transgêneros, as marginalizadas. Algo errado nisso?

por: Vatsala Vedantam

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui