Eu estava em oração recentemente, quando o Senhor estava revelando que haveria um tremor vindo, um tremor espiritual. Eu pude ver que o que o Senhor estava me mostrando era especificamente para os cristãos.

Eu podia ver que eles experimentariam um tremor dentro deles, um temor do Senhor vindo sobre eles. Eu vi uma correlação natural entre as pessoas correndo em volta descontentes. Apareceu como o caos na terra, mas o que o Senhor estava me mostrando é que há caos dentro de suas almas e vidas espirituais. Enquanto eu continuava a orar sobre a incerteza que estava acontecendo, ouvi o Senhor dizer a palavra “santidade”.

O Senhor está chamando seu povo de volta à santidade. Ele quer que nos purifiquemos e voltemos ao lugar em que fomos criados para permanecer, em Sua verdade, amor e pureza. Nossa carne precisa ser purificada e, para purificar nossa carne, precisamos ter um temor do Senhor sobre nós. “Visto que temos estas promessas, amados, purifiquemo-nos de toda a imundícia da carne e do espírito, aperfeiçoando a santidade no temor de Deus” (2 Co 7: 1).

Eu estava recentemente editando meu manuscrito para um próximo livro, e enquanto escrevia sobre libertação da masturbação e pornografia, examinei alguns homens e perguntei: “Além das coisas básicas que todos ensinam a superar a tentação, o que os ajudou a permanecer puros e curar? Um dos homens respondeu que estava tendo medo do Senhor dentro dele. Não foi até que ele percebeu profundamente o temor do Senhor que ele foi capaz de resistir à tentação e atrair espíritos que o levaram à perversão. Nós também precisamos desse temor do Senhor a fim de chegar a um lugar de limpeza e santidade.

A santidade pode se manifestar porque o Espírito do Senhor nos chamou para sermos santos, e nós temos o Espírito Santo dentro de nós. Portanto, quando você não se sentir como se pudesse ser santo em sua força, seja santo na força do Senhor. “Mas, como Aquele que te chamou é santo, seja santo em toda a sua conduta, porque está escrito: ‘Seja santo, pois sou santo’” (1Pe 1: 15-16).

Enquanto escrevo isso, ainda ouço e vejo a palavra “caos”. Eu vejo pessoas correndo e gritando, frenéticas de como fazer isso. Há pessoas que se sentem trapos imundos, e limpar suas vidas parece um desafio insuperável, mas não é. Você tem seu Pai Deus, Jesus Seu Filho e o Espírito Santo ao seu lado. Em vez de correr freneticamente espiritualmente e emocionalmente, você precisa ceder ao Espírito e não andar na carne (Gálatas 5: 16-18).

Nós somos um templo de Deus; o próprio Espírito de Deus habita em nós (1Co 3:16). Ser um templo de Deus é apenas a razão de que devemos temer o Senhor e andar em santidade. Devemos apontar e lutar pela santidade e pureza e não satisfazer e agir em carne e osso. Nos últimos anos, tenho visto profeticamente no mundo espiritual que o mundo continuará a sofrer desastres naturais, eventos terroristas e outras tragédias. Eu continuo ouvindo o Pai falar repetidamente que temos que nos preparar espiritualmente e emocionalmente. Eu o ouço repetidamente dizendo que precisamos arrancar tudo de nós para que possamos ser a luz e o amor que o mundo precisa.

Para chegar a um lugar de santidade, precisamos permitir que o Espírito do Senhor a exponha e revele. Precisamos convidá-lo para fazer o trabalho dentro de nós. 

Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos.”Salmos 139:23. A santidade vem de permitir que ele destrua tudo o que não é dele. Também vem de nós mudar nossos padrões de comportamento, atitudes e hábitos. Deus deseja que andemos em santidade, e creio que agora é a hora e a estação. Ele está nos preparando para algo que está por vir, algo que vai exigir paz.

Se você não está andando em santidade quando eventos mundanos acontecem, você estará correndo no caos, sem saber que direção seguir. Mas quando a santidade vier sobre você, o foco se manifestará, a pureza de coração será estabelecida e você terá a paz de shalom . Mas ainda mais quando a santidade se manifesta, você está em obediência ao Senhor.

por: Pra. Kathy DeGraw 

traduzido e adaptado por: Pb. Thiago Dearo

Deixe sua opinião