padre-metaleiroDê uma espiada nesse simpático velhinho de barbas brancas na foto aí ao lado. Cesare Binozzi, 62 anos, é um frade franciscano da Ordem dos Capuchinhos.
Olhando para ele, você tem a impressão de que é um homem recluso, amante do canto gregoriano e clássicos. Bem, frei Binozzi é um exemplo visível de que as aparências enganam. Ele é vocalista da banda de “heavy metal” Irmão Metal, que já gravou 15 discos independentes.
Com letras religiosas, suas músicas não ficam restritas ao circuito das igrejas: neste ano, o grupo se apresentou no festival italiano de rock Gods of Metal (Deuses do Metal), na cidade de Bolonha, onde abriu o show de ninguém menos que a famosa banda Judas Priest (Sacerdote de Judas). “Não uso a música para ganhar dinheiro, mas para difundir os valores ligados à Igreja. Se a linguagem é dura, é somente porque a realidade é assim”, disse o frade ao jornal “Corriere della Sera”. À BBC Brasil, afirmou: “O “heavy metal” é energia pura, intensa e tem sua beleza, além de conteúdo, porque faço música com letras que ajudam a entender coisas importantes sobre a fé e a vida.” Frei Binozzi revela que gosta de diversos tipos de música, mas prefere o “heavy metal”.
Para ele, esse estilo não tem relações com ritos satânicos e cultos demoníacos. “O “heavy metal” é o oposto do satanismo.
Há dois ou três grupos que se dizem satânicos, mas são poucos em milhares que nada têm a ver com o demônio.” Até mesmo o gesto típico dos metaleiros, com os dedos mínimo e o indicador erguidos, imitando os chifres do diabo, não tem significado negativo, segundo ele. “É um símbolo do amor, quer dizer ‘eu te amo'”, acredita. Frei Bonizzi foi operário e vendedor antes de ingressar no Convento Musocco, perto de Milão. Ordenado sacerdote em 1983, trabalhou com grupos de motoristas de bonde e metrô.
O Vaticano ainda não se pronunciou oficialmente sobre o frade metaleiro.

Fonte: www.padom.com e Enfoque Gospel

Deixe sua opinião