Padre Gisley é morto na semana de abertura do Ano Sacerdotal

padre gisleyNo mesmo instante em que promove uma campanha nacional contra a violência, a Pastoral da Juventude recebeu hoje (16) a notícia do assassinato do padre Gisley Azevedo Gomes, sacerdote que ajudava no planejamento dessa atividade e que há dois anos exercia a função de assessor nacional do Setor Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

O padre desapareceu no domingo (14), após uma reunião por volta das 19h na sede da CNBB, em Brasília. Gisley foi morto com três tiros na região da cabeça e seu corpo, abandonado em um matagal na margem da rodovia DF-445, área rural da cidade-satélite de Brazlândia, no Distrito Federal, só foi localizado hoje (16) após a apreensão de um dos envolvidos no crime.A polícia já prendeu quatro pessoas acusadas de envolvimento no crime, um latrocínio, roubo seguido de morte. Antes de cometer o assassinato, os criminosos teriam obrigado o padre a assinar um cheque no valor de R$ 1 mil e a fornecer cartões de crédito.

Em nota, as Pastorais da Juventude do Brasil reafirmaram o pronunciamento da CNBB sobre o caso, de que “Pe. Gisley foi vítima da violência que ansiava combater”. Em outro trecho, a nota destaca que “A tragédia que se abateu entre nós, das Pastorais da Juventude do Brasil, nos desafia a denunciar a força com que a violência tem ceifado a vida de milhares de jovens em todo o país”.

A confirmação da morte do padre Gisley, feita hoje, acontece há três dias do lançamento do Ano Sacerdotal convocado pelo Papa e que, segundo Bento XVI, tem como objetivo “ajudar a perceber cada vez mais a importância do papel e da missão do sacerdote na Igreja e na sociedade contemporânea”.

Natural de Morrinhos (GO), o religioso, da Congregação dos Sagrados Estigmas de Nosso Senhor Jesus Cristo (Estigmatinos), foi ordenado padre em 29 de maio de 2005. O sepultamento será na cidade natal do padre, possivelmente no final da tarde desta quarta-feira, segundo informações da família.

Ouça entrevista

Pe. Gisley fala sobre seu trabalho no Setor Juventude e a campanha contra a violência

(áudio gravado em 03 de junho de 2009)

PJ Maringa/padom.com

Deixe sua opinião