Um bóia-fria de 29 anos, acusado de estuprar e engravidar a enteada de 11 anos em Barro Alto (GO), a 228 km de Goiânia, confessou nesta quarta-feira o crime, segundo a polícia. Ele se entregou na manhã de terça-feira, após ficar uma semana foragido. O padrasto afirmou em depoimento que sentiu uma atração pela criança devido à proximidade que tinha com ela.

Entretanto, ele disse que não sabe se é o pai do bebê que a criança espera. “Ele disse que a via de 15 em 15 dias, porque trabalhava na zona rural e ia pouco à cidade, e que nesse tempo não sabe dizer se ela namorava outra pessoa”, disse o delegado Germano César de Castro Melo, titular da delegacia de Barro Alto.

O padrasto admitiu manter relações sexuais com a menina há mais de um ano. Ao ser ouvida na delegacia, a enteada afirmou que foi procurada 15 vezes pelo bóia-fria. De acordo com o Conselho Tutelar, o bóia-fria é o pai do bebê, já que a criança não teve relações com mais ninguém. Ela está grávida de seis meses. Os médicos desaconselharam o aborto.

Com o depoimento do lavrador, o inquérito foi concluído e remetido à Justiça em Barro Alto. O padrasto foi indiciado pelos crimes de atentado violento ao pudor e estupro presumido. Ele vai permanecer detido na carceragem da delegacia local. A mãe da menina – que, segundo o Conselho Tutelar, teria sido negligente ao não denunciar o marido – não foi indiciada.

Fonte: Terra

Deixe sua opinião

Leia também!  Serra diz que declarações de Silas Malafaia contra Haddad, são 'bobagens'