Equipe medica desesperado com paciente com covid-19 que morreu no hospital - imagem ilustrativa da matéria
Equipe medica desesperado com paciente com covid-19 que morreu no hospital - imagem ilustrativa da matéria

Um homem de 82 anos hospitalizado por COVID-19 na Califórnia foi espancado até a morte na semana passada por um outro paciente irritado com a oração do idoso em seu quarto de hospital compartilhado, disseram as autoridades.

Jesse Martinez, 37, foi preso e acusado de abuso de idosos e assassinato com um aumento de crimes de ódio em conexão com o assassinato ocorrido no dia 17 de dezembro no Hospital Antelope Valley em Lancaster, disse o Gabinete do Xerife do Condado de Los Angeles na quarta-feira.

Martinez e a vítima não se conheciam antes de serem hospitalizados na mesma sala por questões relacionadas ao coronavírus. Quando seu colega de quarto começou a orar, Martinez supostamente ficou chateado e o atingiu com um tanque de oxigênio.

O idoso, que não foi identificado publicamente, morreu na manhã seguinte devido aos ferimentos, disseram as autoridades.

O prefeito de Lancaster, R. Rex Parris, disse que ficou “chocado e triste” com a notícia.

“Essas famílias já estavam passando por dificuldades e agora isso – não faz sentido”, disse Parris em um comunicado ao Los Angeles Times.

Martinez estava sob fiança de US $ 1 milhão na quinta-feira, com julgamento marcado para segunda-feira, mostram os registros online.

Em todo o estado, os hospitais da Califórnia foram perigosamente sobrecarregados devido à pandemia do coronavírus, com unidades de terapia intensiva em todo o sul da Califórnia e no vale de San Joaquin, apenas ao norte, permanecendo em plena capacidade até esta semana.

O condado de Los Angeles, onde ocorreu o crime, tinha o maior número de casos confirmados de COVID-19 e mortes relacionadas na quinta-feira, de acordo com números compilados pela Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins.

O prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, implorou aos residentes que não viajassem durante as férias e usassem máscaras para prevenir a propagação do vírus e evitar que os hospitais fiquem lotados.

“Se vocês se reunirem para o feriado, nossos hospitais serão invadidos”, disse Garcetti em mensagem pública na terça-feira. “Se você se misturar com outras famílias, nossos médicos não serão capazes de tratar todos os pacientes, estejam eles chegando com COVID-19 ou para um ataque cardíaco.”

Deixe sua opinião