oracao2SÃO PAULO – Quando se viram trancados num cativeiro na Favela do Pavão, em Guaianazes, Zona Leste da capital paulista, na madrugada de quarta-feira, o metroviário Antônio Luiz Nascimento Souza, de 45 anos, e a sua mãe, a aposentada Lourici Nascimento Souza, de 72, começaram a orar. As orações foram ouvidas por um PM, que resgatou as vítimas depois de duas horas de sequestro.O adolescente W, de 17 anos, foi detido no local e levado ao 44 DP (Guaianazes). Ele e três comparsas sequestraram as vítimas por volta das 23h30, na Rua Flor de Cachimbo, em Guaianazes, em frente à casa de Lourici. Ela e Antônio caminhavam para o carro dele, pois a mãe iria dormir na casa do metroviário. Surpreendidos pelos bandidos, eles foram obrigados a entrar no veículo, um Santana branco. W dirigiu o carro, atrás de um Monza guiado por um comparsa.

Ao chegarem na Rua Professor Teotônio Pavão, onde a favela está localizada, os reféns foram recebidos pelo quinto bandido e levados ao barraco que serviu de cativeiro. Evangélicos, mãe e filho começaram a orar, pedindo a Deus para serem libertados.

– Achei que fosse morrer ali – disse Antônio, que pensava no filho de 5 anos e na mulher, que está grávida de oito meses. Pouco depois, o metroviário ouviu alguém chamando.

Era o sargento George Brooks Hughes Júnior, do 28º Batalhão da PM, que patrulhava a região e viu o Santana parado no meio da rua, com as portas abertas. O policial abordou W, que estava dentro do carro. O adolescente então confessou o crime e disse que as vítimas estavam em um dos barracos.

– Eu chamei pelo nome da vítima porque encontrei seus documentos no carro. Descobri onde eles estavam porque ouvi uma oração – disse o PM.

Detido, o adolescente foi transferido para a Fundação Casa (antiga Febem). Os outros quatro bandidos que participaram do crime conseguiram fugir do local.

OGlobo/padom.com

Deixe sua opinião