A família é a resposta para a grande maioria de nossos males sociais. Deus ordenou que o lar fosse o lugar onde os corações e as mãos fossem moldados. Deus dá valor ao lar. Foi a primeira instituição ordenada por Deus e, quando se trata de moldar a vida humana, é onde a ação acontece.

O resgate da próxima geração pode parecer opressor, mas é tão simples quanto voltar ao lar, aos relacionamentos, aos pais e mães amorosas e à poderosa transmissão que as famílias amorosas naturalmente produzem nos jovens.

Sempre fui movido por algo que li nas palavras de Abraham Lincoln. Certa vez, ele disse: “Tudo o que sou ou espero ser, recebo de minha mãe, Deus a abençoe.”

Isso pode não soar tão incomum. Muitos grandes homens e mulheres atribuem a suas mães a inspiração para o que realizaram.

No entanto, a mãe de Lincoln, Nancy, morreu quando o jovem Abraham tinha apenas 9 anos. Lincoln não começaria a se mostrar um homem excepcional até quase vinte anos depois. Aparentemente, naqueles primeiros dez anos, Nancy Lincoln teve um impacto tão grande sobre o filho que ele creditou a ela tudo o que conquistou.

Embora Nancy fosse pobre e não tivesse educação formal, ela amava seu filho, narrou o mundo para ele, ensinou-lhe versículos bíblicos que havia memorizado e estava sempre presente enquanto seu filho sensível, talentoso e incomum chegava à idade adulta. Ela ajudou a formar um homem que, eventualmente, iria formar uma nação. Ela fez tudo isso em menos de uma década. Este é o poder da família. Isso é o que os pais podem fazer, mesmo nas famílias mais difíceis, quando simplesmente cuidam e se entregam aos filhos.

O tipo de impacto de Nancy Lincoln parece difícil de alcançar em nossos dias. Não é, mas as distrações da vida e os falsos valores de nossa época atrapalham. Sempre pensei que o homem mais abençoado do mundo é aquele que tem o narizinho pressionado contra a vidraça esperando que ele volte para casa. É assim que eu cresci. Talvez você também tenha. Nada me emocionou mais do que aquelas palavras poderosas: “Papai está em casa!”

Felizmente, senti o que é ter um filho quase dançando pela casa com a emoção de voltar para casa. É uma experiência transformadora. Quando meu filho, Zach, tinha apenas dois ou três anos, voltei para casa uma noite e encontrei meu filhinho correndo a toda velocidade em minha direção. Quero dizer, ele estava aberto! Quando ele chegou até mim, ele parou e gritou alegremente: “Pai!” Então ele olhou para os meus sapatos e disse: “Tire os sapatos!” Isso me emocionou porque percebi que ele estava dizendo: “Pai, venha aqui comigo. Fique comigo.”

Não acho que estou indo longe demais para dizer que a principal forma de resgatar a próxima geração é respondendo a este clamor de coração de nossos filhos. “Pai. Mãe. Fique comigo. Venha aqui comigo.” É a resposta, verdadeiramente, não apenas para nossos filhos, mas também para nossa nação.

Portanto, quando faço uma convocação para mães e pais guerreiros, não estou necessariamente pedindo às pessoas que saiam às ruas e comecem a clamar pela próxima geração. Isso pode ser necessário às vezes, mas estou convocando principalmente os pais e outros adultos que serão como aquelas flechas mais velhas – fortes, retos, experientes e dispostos a se ligar aos jovens para protegê-los e ajudá-los a se tornarem o que eles Devem ser. Estou convocando uma geração adulta guerreira que entende os tempos e sabe como proteger a próxima geração dos males de nossos dias.

Dr. Tim Clinton

O que é Família nuclear e Família extensa

Entre os familiares, é possível identificar dois graus de proximidade: a família nuclear e família extensa. A família nuclear é normalmente composta pelos pais e irmãos, enquanto a família extensa é composta por avós, tios, primos, etc.

No entanto, este conceito é flexível, já que muitas vezes os avós (ou outros parentes) podem morar na mesma casa, sendo considerados como família nuclear.

Em outros casos, um ou os dois pais podem não estar presentes por algum motivo, não fazendo parte da família nuclear.

Deixe sua opinião