Santos implanta uma cartilha de conduta
Os novos tempos do Santos não se limitam ao ocupante da cadeira de presidente. Em uma tentativa de acabar com alguns hábitos da última gestão, a nova diretoria do clube estabeleceu uma cartilha de conduta para seus jogadores, com quatro recomendações que vão de encontro a práticas antes comuns na Vila Belmiro.‘Na verdade, não é uma cartilha, é só um manual para padronizar o comportamento dos jogadores de acordo com a nova filosofia do clube‘, disse o diretor de futebol do Santos, Pedro Luiz Conceição, integrante da nova diretoria montada pelo presidente Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro.
O primeiro item diz respeito a manifestações religiosas. O clube não tolerará ser usado como palco para esse tipo de atividade. Nos tempos do presidente Marcelo Teixeira, era comum que a Vila Belmiro recebesse toda sorte de bênçãos e mandingas em dias de jogos.
Agora, jogadores evangélicos, como o volante Roberto Brum, que é famoso por sempre falar de religião em suas entrevistas, não poderão comentar sobre o assunto diante dos microfones e em preleções. ‘Quem tem as suas convicções que o faça na igreja, deixe o campo de futebol para o jogo. Não tem de misturar‘, disse o presidente Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro.
O segundo item da cartilha proíbe que os jogadores comemorem seus gols levantando a camisa. Ainda sem patrocínios para a temporada, o Santos quer atrair parceiros com a garantia de que suas marcas sempre serão expostas quando as câmeras estiverem voltadas para o autor do gol. O jogador que descumprir a ordem pagará multa, ainda a ser estipulada.
A terceira regra aborda o relacionamento dos jogadores com a imprensa. Todos os atletas serão obrigados a falar com jornalistas. Será montada uma escala para as entrevistas coletivas diárias. Até pouco tempo, alguns integrantes do elenco do Santos se recusavam a conceder esse tipo de entrevista.
A última das recomendações diz respeito ao uniforme utilizado durante viagens. Será proibido o uso de qualquer peça que não seja fornecida pelo clube. Sendo assim, os jogadores não poderão utilizar produtos de seus patrocinadores pessoais.

Sem redução
Ontem, em reunião entre a diretoria do Santos e o empresário de Fábio Costa, Marcelo Goldfarb, foi decidido que não haverá redução nos valores a serem recebidos pelo goleiro. Para diminuir o seu salário sem abater nada dos R$ 9 milhões previstos em seu contrato até dezembro de 2012, será feita uma ampliação desse acordo por mais 18 meses, até junho de 2014. Essa ação diminuirá o valor a ser depositado mensalmente na conta do jogador e está de acordo com a política de gastos da nova diretoria.

Chegou Marquinhos
O Santos apresentou oficialmente nesta quarta-feira o meia Marquinhos, que jogou as duas últimas temporadas pelo Avaí. O jogador de 28 anos encara a contratação para defender a camisa santista como a chance definitiva de brilhar em um grande clube do eixo Rio-São Paulo, depois de passagens tímidas por Flamengo, em 2002, e pelo São Paulo, em 2004. ‘Estou voltando ao futebol paulista, em um clube grande, que está acostumado a ganhar títulos. Temos a obrigação de conquistar títulos, levantar taças‘, disse.

Do Padom: ” As proibições de manisfetação religiosa, é mais uma perseguição contra os evangélicos, ou seja contra Jesus, porque somente agora estão proibindo isso? Será porcausa do aumento dos evangélicos, de jogadores que são lavados e remidos pelo sangue de Jesus?, coitado daqueles que tentam impedir o Reino de Deus!!!” – Cuidado hein Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul / Padom

Deixe sua opinião