Noticias gospel – A história de Holly Holm no mundo das lutas começou muito antes do ingresso no MMA. Mais de 13 anos antes derrotar Ronda Rousey no UFC 193, neste sábado (14), e se tornar campeã peso-galo feminino do UFC, a americana fez suas primeiras lutas profissionais em duas modalidades. Em 2002, ela estreou no kickboxing, mas foi no boxe que a lutadora se destacou.
Na nobre arte, ela somou números expressivos. Em 11 anos de carreira, foram 33 vitórias, duas derrotas e três empates. Nessa trajetória, ela conquistou o título mundial 19 vezes, em três categorias diferentes. Sua transição para o MMA aconteceu em 2011.
Holly-HolmApesar de especialista em boxe, seis dos sete nocautes de Holly no MMA foram conquistados com chutes, o que mostra sua versatilidade. O apelido de Holm, tanto no boxe quanto no MMA, é “a filha do pastor“. Seu pai, Roger Holm, é pastor em Albuquerque. Antes de começar a lutar, ela se aventurou como jogadora de futebol e se testou na ginástica olímpica.

Em dez lutas no MMA, Holm soma um cartel perfeito. Foram dez vitórias, sendo sete por nocaute e apenas três por decisão. Depois de se tornar campeã do Legacy FC, em 2014, ela foi contratada pelo UFC e venceu apenas duas lutas até ser alçada a uma chance pelo título. Apesar das performances burocráticas e sem brilho, a americana mostrou no UFC 193 que sua experiência faz muita diferença no octógono.

Apesar da aparência de durona, a lutadora costuma sempre freqüentar a igreja para pedir ajuda de Deus em todas as áreas de sua vida.

 

André Santos

Portal Padom

Deixe sua opinião