Embora a palavra “livre arbítrio”, não exista na Bíblia, mas há uma ideologia que diz que Deus deu o poder a todos os indivíduos, independente das condições externas ou internas relacionadas com a decisão.

Com relação a esta ideologia, os neurocientistas, diz que essa filosofia não existe, porque para eles o cérebro está pronto para decidir as ações que tomamos sem perceber a escolha que fizemos.

A tese de que o livre arbítrio é uma ilusão, é defendida por pesquisadores com uma ampla gama de dados coletados por meio de estudos e pesquisas. Em uma delas foi possível mapear a atividade cerebral antes que a pessoa soubesse o que estava fazendo. Assim, verificou-se que uma pessoa não tem o poder de escolha, mas fazer o que já está programada para ocorrer.

Entre os estudos que formam a opinião dos neurocientistas, que estão estudando, o psicólogo Benjamin Libet, demonstrou que uma região do cérebro coordena a atividade motora segundos antes de uma pessoa tomar uma decisão.

Em 2011, a revista científica PLoS ONE, publicou um estudo de Stefan Bode que realizou ressonância magnética em 12 voluntários com idades entre 22 e 29 anos e por este exame fornece as atitudes que poderiam ser tomadas pelos jovens, este descobriu sete segundos antes de o cérebro ter decidido que tinha de fazer antes de tomar consciência.

Vários outros estudos têm tentado demonstrar se há realmente o “livre arbítrio”, mas ninguém conseguiu encontrar uma diferença entre a atividade cerebral e ato consciente.

Através desses estudos, os neurocirurgiões entendem que antes das pessoas decidirem fazer algo, a atividade do cérebro em seu cérebro e tem disparado.

Steven Pinker, psicólogo da Universidade de Harvard e autor de Como a Mente Funciona, falou seus pontos de vista sobre “livre arbítrio”, diz: “Eu acho que nosso comportamento é o produto de processos físicos no cérebro”, diz ele que não acredita que as pessoas possam decidir suas ações.

Mas Pinker, também diz que, devido à complexidade do sistema central, você não pode fazer previsões sobre as escolhas humanas de uma forma simples.

Portal Padom

Com informações Revista Veja

Deixe sua opinião