Stephen Hawking faleceu após uma longa batalha contra a esclerose lateral amiotrófica (ELA). Foto Getty

O último livro do falecido cientista Stephen Hawking também dá seu veredicto final sobre se há um Ser Superior dirigindo o universo.

Em “Brief Answers to the Big Questions” (Breves respostas às grandes perguntas), finalizado por sua família após sua morte, o célebre cientista oferece respostas para as perguntas que lhe foram feitas com mais frequência durante sua vida.

Eles incluem perguntas sobre Deus, um assunto que ele abordava de tempos em tempos, mas sempre vagamente o bastante para deixar alguns imaginando, esperando até mesmo, que ele realmente fosse um crente e não um ateu, afinal.

Na época de sua morte, em março deste ano, houve especulações de que ele havia se convertido ao cristianismo após uma visita ao Vaticano, durante a qual ele conheceu o papa Francisco.

Site de checagem de fatos Snopes rapidamente derramou água fria nos rumores: “Não há evidência de que Hawking tenha se desviado desses pontos de vista antes de sua morte, e ele não fez qualquer declaração de fé depois de uma reunião com o Papa Francisco”.

Na melhor das hipóteses, ele parecia aberto à ideia de Deus em seu best-seller de 1988, “Uma Breve História do Tempo“, no qual refletia sobre o que significaria se os cientistas elaborassem uma “teoria de tudo“.

Seria o triunfo final da razão humana – pois então deveríamos conhecer a mente de Deus“, disse ele.

Mas nas poucas vezes em que Hawking falou sobre Deus nos últimos anos, foi para sugerir que Ele era irrelevante para a vida ou para o funcionamento do universo.

Falando à ABC News em 2010, ele disse: ‘Não se pode provar que Deus não existe, mas a ciência torna Deus desnecessário‘.

Então, em uma entrevista com o The Guardian em 2011, ele disse que as noções de vida após a morte eram um conto de fadas.

Eu considero o cérebro como um computador que vai parar de funcionar quando seus componentes falham“, disse ele. ‘Não há paraíso ou vida após a morte para computadores quebrados; isso é um conto de fadas para pessoas com medo do escuro.”

Agora, seu último livro parece colocar de uma vez por todas sobre essa especulação em resposta à questão de saber se existe, pelo menos a seu ver, um Deus.

Deus não existe. Ninguém dirige o universo”, escreve ele em Brief Answers to the Big Questions.

O cientista, que sofria de ALS, acrescentou: “Durante séculos, acreditava-se que pessoas com deficiência como eu viviam sob uma maldição infligida por Deus. Prefiro pensar que tudo pode ser explicado de outra maneira, pelas leis da natureza.”

Deixe sua opinião