rua india
Uma família na Índia foi banida de sua aldeia este ano depois de se recusar a renegar sua fé cristã

Uma família que recentemente se converteu ao cristianismo foi banida de sua aldeia indígena este ano depois de permanecerem firmes em sua fé e se recusarem a se retratar.

Jaga Padiami e sua esposa aceitaram a Cristo em dezembro depois de ouvir o evangelho, quando um grupo de cristãos visitou sua aldeia natal em Kambawada, Índia.

Mas em janeiro, eles foram chamados para uma reunião na aldeia e orientados pelo chefe da aldeia, Koya Samaj, a renunciar à sua fé cristã. Ambos recusaram, de acordo com um relatório da International Christian Concern.

Os residentes começaram a assediar o casal e Samaj deu-lhes mais cinco dias para renunciarem à sua fé ou enfrentariam o banimento da aldeia.

Depois de cinco dias, o casal foi chamado para outra reunião na aldeia, onde Padiami disse a Samaj e aos outros moradores: “Mesmo que vocês me expulsem da aldeia, não deixaremos Jesus Cristo”.

“Essa resposta enfureceu os moradores locais que saquearam a casa de Padiami”, relatou o ICC.

Seus pertences foram jogados na rua e sua casa trancada. Eles foram então expulsos da aldeia.

O casal foi informado de que seriam mortos se retornassem – a menos que se retratassem do cristianismo. Mas isso eles não fizeram.

A Índia ficou em 10º lugar no relatório do Portas Abertas de 2021 sobre “50 países onde é mais difícil seguir Jesus”.

“Extremistas hindus acreditam que todos os indianos devem ser hindus e que o país deve se livrar do cristianismo e do islamismo”, disse o relatório. “Eles usam muita violência para atingir esse objetivo, principalmente contra cristãos de origem hindu. Os cristãos são acusados ??de seguir uma ‘fé estrangeira’ e culpados de má sorte em suas comunidades”.

Os cristãos são “frequentemente atacados fisicamente e às vezes mortos”, além de estar “sob constante pressão de sua família e comunidade para retornar ao hinduísmo”, disse o relatório.

“Se eles não se ‘reconverterem’, podem ser boicotados por sua comunidade, com um efeito devastador em sua capacidade de obter renda”, disse o relatório do Portas Abertas. “Muitos crentes estão isolados e não conhecem nenhum outro cristão.”

Deixe sua opinião