JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

“Está faltando homem na praça?”. Foi a pergunta que uma mulher que estava para registrar uma ocorrência de roubo na Seccional Urbana de São Brás fez quando chegou naquela unidade policial, Carla Cristiane da Silva Queiroz, 23 anos, toda mutilada a golpes de estilete.A agressão aconteceu na rua São Lourenço, bairro do Curió, em Belém, e foi praticada por Natalina de Araújo Cândido, 39 anos, após uma disputa ferrenha pelo amor de um homem identificado como Marcelo Sillas.
Presa por uma equipe da Polícia Militar, a acusada chegou à Seccional muito agitada e não negou a agressão, praticada por ciúmes do “gostosão” com quem Natalina Cândido teve um romance e acabou sendo jogada para escanteio depois que o pivô do crime se apaixonou por Carla Cristiane.
A vítima recebeu vários golpes de estilete e bisturi que a deixaram com o rosto e parte do corpo deformado. Após receber atendimento no Hospital do Pronto-Socorro Municipal, ela prestou depoimento no auto de flagrante delito contra Natalina Cândido.
A equipe do DIÁRIO conversou com as duas mulheres. Carla Cristiane disse que estava “ficando” com o ex-namorado de Natalina Cândido e que esta não aceita o relacionamento após o homem tê-la trocado por ela e que, embora Marcelo Sillas seja casado, ele “é o cara”.
A acusada informou que Carla Cristiane é uma “puquista”, ou seja, gosta de tirar barato com a cara dos outros e no dia do crime ela vinha de uma igreja evangélica onde se congrega agarrada com um lenço ungido quando a vítima começou a fazer onda.
Natalina foi em casa e se armou com o estilete e um bisturi e golpeou por várias vezes a rival. A acusada foi autuada por lesão corporal grave e recolhida no Centro de Recuperação Feminina no Coqueiro.

Diário do Pará / Padom

Deixe sua opinião

JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗