Noticias Gospel Na última sexta-feira, 14, foi realizado na Catedral Nacional em Washington, DC, uma igreja cristã, o seu primeiro culto de oração muçulmana. A maioria dos participantes eram muçulmanos, que podem ser visto sentado nos bancos. O objetivo do serviço muçulmano foi supostamente para condenar o terrorismo e construir pontes entre as duas religiões. Mas uma senhora cristã não concordou com o que estava acontecendo e passou a defender a fé cristã.

Pouco antes dos anúncios iniciais, uma mulher não identificada se levantou e expressou discordância de que uma igreja cristã estaria apoiando tal serviço.

“Jesus morreu lá na cruz. Ele é a razão por que devemos adorar somente a Ele. Jesus Cristo é nosso Senhor e Salvador”, disse a manifestante em voz alta.

Além disso, a mulher mencionou como havia muitas mesquitas nos Estados Unidos, os muçulmanos deveriam realizar o seu culto de adoração dentro de seus próprios edifícios religiosos.

“Temos construído e permitido mesquitas aqui neste país? Porque vocês não adoram nas mesquitas? Deixem a nossas igrejas”, disse a corajosa cristã.

A mulher não identificada foi expulsa da igreja por dois homens, mas teria continuada a protestar em outra sala.

Vídeo:  Mulher cristã interrompendo oração islâmica em igreja cristã

Enquanto isso, o diretor da liturgia da Catedral Nacional de Washington, o reverendo Canon Gina Campbell, saudou os muçulmanos dizendo “irmãos e irmãs em nome de Deus … mais compassivo, mais misericordioso.”

“Bem-Vindos a Catedral Nacional de Washington, uma catedral projetada pelos episcopais, auxiliada pelos demais e fretada pelo Congresso para ser uma catedral nacional, uma casa de oração para todos os povos”, disse Campbell.

Durante o evento, um homem muçulmano cantou do púlpito, “Allahu akbar, Allahu akbar”, uma frase que pode ser traduzido para significar “Deus é grande” ou “Deus é o maior”.

O controverso culto muçulmano foi organizado pelo embaixador Sul-Africano Ebrahim Rasool. “Este é um momento dramático no mundo e nas relações entre muçulmanos e cristãos agora”, disse Rasool.

Os muçulmanos que participaram do evento disseram que estavam satisfeitos com a sua natureza simbólica.

“Se continuarmos fazendo isso, o que realmente pode ter um impacto em todos os Estados Unidos na forma como interagimos com os nossos vizinhos e com as nossas comunidades”, disse uma mulher muçulmana.

“Este evento de solidariedade é simplesmente lindo para fazer parte. Eu vejo isso como comunicação, como um sinal, como uma mensagem do próprio Deus para o mundo”, disse Imam Talib Shareef, que dirige a mesquita da Nação em Washington, DC.

Durante o serviço, Rizwan Jaka da polêmica Sociedade Islâmica da América do Norte (ISNA, por sua sigla em Inglês) chamou a Catedral Nacional de, casa catedral de oração para todos os povos.

Como o analista de terrorismo Erick Stakelbeck informou a CBN News, que a ISNA tem laços com a Irmandade Muçulmana Radical.

Uma mulher chamada Inas Shabazz que participou da reunião, disse: “Eu acho que se as pessoas leem e tem uma melhor compreensão eles vão saber que somos um povo pacífico … Você sabe o Alcorão … Islã … muçulmano … . tudo significa paz e amor. Não há nada sobre o terrorismo “.

Mas especialistas islâmicos consultados pela CBN News explica que a palavra “Islã” não significa “paz” ou “amor”. Na verdade, significa “submissão” ou “rendição”.

O decano da Catedral Nacional de Washington manifestou o seu apoio para o evento e tem como objetivo reverter à visão negativa dos muçulmanos.

Qual é a sua opinião de uma igreja cristã realizar eventos com outras religiões não cristãs? Deixe o seu comentário abaixo ele é muito importante para nós.

Portal Padom

Deixe sua opinião