Muçulmanos no Paquistão seqüestram, estupram garota cristã

Rawalpindi, Paquistão, 16 de junho (CDN) – Cinco muçulmanos raptaram e estupram uma garota cristã, depois de ameaçarem matá-la a menos que o pai permitisse que um deles se casasse com ela.
Lázaro Masih disse que uma das suas três filhas, de 14 anos, foi seqüestrada no dia 29 de maio por cinco homens identificados apenas como Guddu, Kamran, Waqas, Adil e Ali.A polícia a resgatou no dia 6 de junho em um ataque na casa onde estava sendo aprisionada, embora os suspeitos fugirem.
“Eles ameaçaram que se eu não a deixasse casar com Guddu, eles iriam matá-la”, disse Javed. “Um deles disse:” Nós participamos de uma convenção religiosa islâmica, e o presidente disse que se você casar com uma não-muçulmana ou estuprar uma menina não-muçulmana, você terá 70 virgens no céu. ”
Ele disse que quando ele e sua esposa retornaram ao trabalho em torno de 11 horas do dia 29 de maio, a sua filha de 14 anos, não estava em casa, suas outras filhas tinham ido a escola e disseram que não sabiam onde ela tinha ido.
Durante a procura da família para encontra-la, ouviram o cunhado de Yousaf Masih, que tinha visto cinco homens muçulmanos seguindo-a naquela manhã.
“Na parte da manhã por volta das 7h30, eu vi que [nome não revelado], e uma outra menina estavam sentadas em um riquixá com cinco rapazes muçulmanos – Guddu, Kamran, Waqas, Adil e Ali – seguindo do riquixá”, Yousaf Masih disse a menina pai.
Os membros da família disse que os suspeitos a levaram para uma casa perto de Islamabad, onde deram a ela uma droga que a deixou inconsciente, e a estupraram. Um laudo médico confirmou que ela ingeriu drogas e foi estuprada.
Lázaro Masih, que vive com sua esposa e filhas em Mohalla Raja Sultan, Rawalpindi, apresentou um primeiro relatório de informação na delegacia Waris Khan no dia 01 de junho contra os cinco homens. Ele disse que Guddu, Kamran e Waqas vendem e usam drogas.
Ele também contactou a organização de defesa “Ephlal Ministry”, que, juntamente com representantes da “Life for All and Peace Pakistan “ se reuniram com o chefe de polícia Mazhar Hussain Minhas e exigiram uma ação imediata para a recuperação da menina.
“Este é um incidente muito triste, e faremos o que pudermos para recuperar a menina,” Hussain Minhas disse-lhes.
Membros da família devastada, disse que a menina ficou assustada e não falava com ninguém.
“É uma vergonha que os líderes religiosos ensinam atos desumanos”, disse o Rev. John Gill Shamsabad da Igreja Católica. “O incidente arruinou a vida de uma criança inocente.”
A família pertence à paróquia católica, mas agora estão associados com uma igreja protestante, Ministério Nova Vida, em Rawalpindi.

Traduzido por: www.padom.com.br

compassdirect / Portal Padom

Deixe sua opinião