David Yonggi Cho, pastor da maior megaigreja do mundo, morreu na manhã desta terça-feira, disse sua igreja em um comunicado à imprensa. Ele tinha 85 anos.

Cho é o fundador da Igreja do Evangelho Pleno de  Yoido  em Seul, Coreia do Sul, e passou décadas pregando o evangelho naquele país.

No momento de sua morte, David Yonggi Cho estava recebendo tratamento médico para uma hemorragia cerebral que sofreu em 2020.

Cho nasceu em 1936 em uma família budista e viveu durante a Guerra da Coréia. Ele se converteu ao cristianismo aos 17 anos, quando os médicos lhe disseram que ele morreria de um caso grave de tuberculose. Cho credita a Deus por sua recuperação “milagrosa” da doença.

“Jamais esquecerei a bênção e a graça de Deus sobre minha vida, por meio da qual Ele me escolheu para ser Seu Servo quando eu era apenas uma criança insignificante com doença pulmonar, e Ele me salvou por Sua graça por meio da expiação da Cruz de Jesus Cristo, para que através da oração eu possa receber sabedoria e pregar pela inspiração do Espírito Santo onde quer que Ele me coloque ”, Cho escreveu em uma declaração no site de sua igreja.

Cho exerceu o ministério em tempo integral e se formou no Full Gospel College em 1956. Apenas dois anos depois, ele abriu uma igreja com barraca em Seul, que mais tarde se tornou a Igreja do Evangelho Pleno de Yoido. A igreja se tornou uma das megaigrejas mais populares do mundo e possui mais de 750.000 membros.

Yoido tem mais de 500 igrejas locais em toda a Coreia do Sul e enviou milhares de missionários a países ao redor do globo, de acordo com o comunicado da igreja à imprensa.

Leia também!  Bispo Daniel Malafaia morre devido ao Coronavírus Covid-19

“Tudo que fiz foi oferecer minha vida como o menino que deu os cinco pães e dois peixes… Eu simplesmente me segurei nos sonhos que o Senhor me deu, e foi Ele quem fez a Igreja do Evangelho Pleno de Yoido chegar a 750.000 membros para se tornar na maior igreja do mundo”, disse Cho em um comunicado.

A Coreia do Sul tem uma das comunidades cristãs mais robustas do mundo, e as megaigrejas cresceram em popularidade nos anos que se seguiram à guerra da Coréia.

Cho se tornou um dos líderes cristãos mais influentes em seu país. Ele escreveu vários livros, fundou um jornal diário cristão e estabeleceu uma organização humanitária, disse o comunicado da igreja.

A esposa de Cho morreu em fevereiro deste ano. Eles deixaram seus três filhos.

Deixe sua opinião