mongeUm juiz na província chinesa de Sichuan condenou na quinta-feira, o monge tibetano Lorang Konchok a pena de morte com remissão condicional, o que equivale à prisão perpétua, informou a agência estatal Xinhua

Lorang Konchok, de 40 anos, foi condenado por ‘estimular’ oito pessoas a cometerem o ato de imolar-se com fogo,   três destas faleceram, o monge foi considerado culpado por ‘homicídio premeditado’, no julgamento que começou no sábado. Seu sobrinho de 31 anos, também foi acusado, sendo condenado a 10 anos de prisão.

Desde 2009, quase 100 tibetanos tentaram cometer suicídio na China com atos de imolação para protestar contra a tutela de Pequim sobre seu território e a repressão implacável de sua religião e cultura. Muitos faleceram em consequência das queimaduras.

Pequim acusa o Dalai Lama, líder espiritual dos tibetanos, de estimular as imolações.

Em dezembro o Tribunal Supremo, juntamente com as principais instâncias judiciais e policiais chinesas, aprovaram uma lei que qualquer pessoa que tenha ajudado ou estimulado um tibetano a imolar-se, será processado por ‘homicídio’

Portal Padom

Deixe sua opinião