A partir de sua experiência no campo missionário, John Heerema tem encontrado que os homens tendem a pensar muito pequeno. Assim ele e sua equipe de ministerio têm lutado para sonhar grande em sua visão para alcançar os perdidos.

Eles fundaram uma organização chamada Big Life Ministries (Ministério Vida Grande). O impacto foi alcançado em um tempo relativamente curto que inspirou um livro intitulado: A Big Life: Ordinary People Led by an Extraordinary God), (A Grande Vida: Pessoas Comuns liderados por um Deus extraordinário) o autor é Peter Hone, com um prefácio do falecido Charles Colson e um posfácio por Mike Huckabee.

Desde a sua criação em 2000, a Big Life Ministries plantou mais de 7.000 igrejas em alguns dos lugares mais difíceis do mundo para difundir o evangelho de Jesus Cristo. Heerema, diretor executivo da Big Life, diz que cada vez que o ministério estabelece uma meta, o Senhor tem ajudado a superar.

“Desde o inicio, John sempre havia tratado de pensar em um Deus grande, mas ao longo dos anos, ele foi descobrindo que pensar em um Deus grande era algo que todos da Big Life poderiam esperar conseguir o que nunca tinha conseguido”, diz uma parte do livro.

O Ministério começou a trabalhar no Oriente Médio, mudou seu foco à Índia depois de que seus vistos foram revogados pelos ataques terroristas de 11 de setembro e agora trabalha em diversos países da janela 10/40, uma área de entre 10 e 40 graus ao norte do Equador, incluindo a África do Norte, Oriente Médio e Ásia.

A Janela 10/40 é um termo cunhado pelo missionário cristão estrategista Luis Bush, em 1990. É uma área que, em 1990, tinha a intenção de ter o mais alto nível de desafios socioeconômicos e maior acesso à mensagem cristã e recursos cristãos no planeta.

O conceito da janela 10/40 destaca esses três elementos: uma área do mundo com um alto índice de pobreza e baixa qualidade de vida, combinado com a falta de acesso a recursos cristãos.

As pessoas muitas vezes sofrem de pobreza, fome e doença na janela 10/40, no entanto, mais de 90 mil ex-muçulmanos, hindus e budistas nesta área têm aceitado a Cristo através Big Life. Incluídos neste número: criminosos, assassinos, assaltantes de banco, prostitutas, alcoólatras e jihadistas, até mesmo radicais.

A estratégia de Big Life foi cultivada no campo. Eles chamam esse enfoque de “Atos em Ação”, em referência ao livro da Bíblia que narra às primeiras igrejas e o trabalho missionário do Novo Testamento. Em vez de enviar missionários treinados em seminários em outros países, Big Life, optou por equipar os crentes locais comuns para plantar igrejas e alcançar suas comunidades para Cristo.

O trabalho do ministério tem atraído um número de apoiantes proeminentes. Um deles, Oliver North, disse, “Big Life está fazendo o que o apóstolo Paulo fez ….”

“Muitas organizações missionárias se desviaram do modelo bíblico, mas depois de dois mil anos, a abordagem está sendo usado novamente.”

“O que torna esta história tão excitante para mim é que representa a nova onda de missões no mundo”, disse Colson.

“A história da Big Life, é uma lição de que Deus fará através de pessoas obedientes” , diz um prefácio do livro.

Portal Padom

Traduzido e adaptado de Charisma News por Portal Padom

Deixe sua opinião