Nos Estados Unidos, muitos pastores com problemas econômicos e de saúde, estão deixando o pastorado, abandonando a pregação, deixando suas atividades religiosas e a igreja.

A revista Chrisitanity Today, citou uma pesquisa realizada nos Estados Unidos, que mostram uma alta taxa de ‘licenças’ de pastores.

O Instituto Francis Schaeffer mostra a deserção de pastores em um estudo, que destaca que a cada mês 1.500 pastores deixam seus ministérios por esgotamento moral, espiritual e até mesmo por causa de desavenças na Igreja.

A pesquisa indicou que 57% dos pastores que trabalham em tempo integral em suas igrejas, admitiram que gostariam de um trabalho secular, se eles tivessem a oportunidade.

Outro estudo mostrou que os principais problemas que enfrentam estes ministros são a depressão, estresse, a falta de preparação ministerial, a falta de seminados de capacitação em assuntos da Bíblia e da crise financeira.

A pesquisa realizada nos Estados Unidos resumem o problema dos pastores e suas consequências:

  • 70% dos pastores admitiram que sofrem de depressão e estresse.
  • 80% deles não se sentem preparados para o ministério
  • 70% dizem que apenas leem a Bíblia quando precisa preparar seus sermões.
  • 40% afirmam que tiveram casos extraconjugais
  • 30% admitem ter reduzido suas próprias contribuições á igreja após a crise financeira

 

Consequências:

  • 1.500 pastores deixam de pregar a cada mês
  • Eles estão buscando um trabalho secular desde 2009, mais que o dobro de 2005.
  • De 2 a 3 anos de ministério é o tempo médio que duram os pastores para logo deixarem suas igrejas ou irem para outros ministérios.

Deixe sua opinião