Na escuridão absoluta e com dificuldade em respirar, um adolescente clamou a Deus por ajuda, quando estava preso em uma rede de esgoto. Sua oração foi respondida quando ele foi resgatado são e salvo.

Jesse Hernandez, 13, caiu em um esgoto em Los Angeles quando ele estava jogando com seus primos. Ele passou 12 horas preso na escuridão e foi quando ele começou a orar por proteção. “Eu orei a Deus e pedi para ele não me deixar morrer“, disse ele.

Os eventos ocorreram perto do Griffith Park, por volta das 4 da tarde, quando Hernandez estava jogando sobre uma estrutura de concreto. No entanto, a mesa que cobria o portal do sistema de esgoto cedeu e o menino sofreu uma queda de 25 metros no cano, que tinha apenas um metro e vinte de diâmetro.

A criança foi arrastada pelas águas suja do esgoto a uma velocidade de 15 quilômetros por hora. Embora tudo não parecesse nada que ele pudesse fazer, ele começou a orar em seu coração e foi capaz de ficar de pé nas paredes do tubo.

“Eu estava no escuro, eu só podia ouvir a água correndo e eu não conseguia ver nada, tudo estava completamente escuro“, disse o menino.

Mais de 100 profissionais do Corpo de Bombeiros de Los Angeles e agentes públicos trabalharam durante a noite para localizar Hernandez. Com a ajuda de uma câmera especial, eles conseguiram localizar as marcas das mãos da criança na lateral do tubo.

“Hernandez foi encontrado às 4h55 da manhã, consciente e respirando no meio do fluxo de drenagem. A base do ponto de acesso tinha 3 metros de profundidade”, disse o Corpo de Bombeiros em um comunicado.

O porta-voz Brian Humphrey considera que a sobrevivência do menino foi um milagre. “As chances de alguém cair em um lugar como esse e sobreviver são mínimas, gases tóxicos de resíduos como metano e sulfeto de hidrogênio podem te matar, eu diria que sua sobrevivência foi um milagre”, disse ele.

Depois que Hernandez foi resgatado, ele agradeceu a Deus por lhe dar uma nova oportunidade de viver e por protegê-lo durante a terrível experiência que teve que enfrentar.

Deixe sua opinião