No cartaz, a indiana pede que "não diga às nossas filhas para não saírem de casa, diga a seu filho para se comportar corretamente"
No cartaz, a indiana pede que "não diga às nossas filhas para não saírem de casa, diga a seu filho para se comportar corretamente"
No cartaz, a indiana pede que “não diga às nossas filhas para não saírem de casa, diga a seu filho para se comportar corretamente”

Faleceu no último domingo, (04), uma menina indiana de apenas 11 anos, que teve 70% de seu corpo queimado, após resistir uma tentativa de estupro na última quarta-feira (31), na Índia.

Durante a tentativa de estupro, a menina havia reconhecido os dois agressores, ela disse que sairia correndo para avisar sua família, então os dois homens, sem compaixão, derramaram querosene sobre seu corpo e atearam fogo. Imediatamente a menina foi levada para o hospital com ferimentos graves, mas não resistiu vindo morrer quatro dias depois.

“Dois homens tentaram molestar e estuprar minha filha, mas quando ela os reconheceu e disse que correria para casa para nos avisar do que havia acontecido, eles derramaram querosene no seu corpo e atearam fogo”, disse o pai da menina ao jornal The Times of India.

Ele disse ainda que “— Alguns dias atrás, minha mulher discutiu com um homem chamado Kundan. Ele disse a ela que teria sua vingança. O que aconteceu foi consequência daquilo.”

Um os agressores já foi preso pela policia, que continua procurando outro suspeito que fosse um estudante reconhecido por um vizinho que encontrou a menina após o crime.

Deixe sua opinião