Médicos louvam a Deus por pacientes curados do coronavírus Covid-19

Ministra da Saúde de Uganda, diz que eles estão combatendo o coronavírus com oração e ciência. Muitos estão sendo curados e os médicos glorificam a Deus por isso.

Vestidos com uniformes e máscaras, uma equipe de médicos em Uganda louvou a Deus pelos pacientes curados do coronavírus (Covid-19). O ato ocorreu na segunda-feira (19), após nove pacientes receberam alta hospitalar.

Eles cantaram várias canções cristãs na porta do hospital Entebbe Grade B, onde mais pacientes com coronavírus receberam alta após a recuperação completa. Os médicos cantaram: “Deus, Tú és Deus” ao toque de um violão.

O emocionante momento, contou com a presença da Ministra de Estado da Atenção Primária à Saúde do Gabinete de Uganda, Dra. Moriku Joyce, que revelou que a alta agora eleva o número total de casos recuperados em Uganda para 38.

Funcionários do Ministério da Saúde disseram aos repórteres que um paciente com coronavírus só recebe alta após testar duas vezes negativo.

Isso é feito para que “tenhamos certeza de que está completamente livre do coronavírus”, disse Emmanuel Ainebyoona , um alto funcionário de relações públicas do Ministério da Saúde.

Com o país registrando agora menos casos, a ministra da Saúde Jane Ruth Aceng, em seu discurso no início deste mês, observou que eles estão combatendo a pandemia com oração e ciência.

Coronavírus em Uganda

“Se todos nós em Uganda pudermos nos ajoelhar e pedir perdão, tenho certeza que Deus ouvirá do céu, nos perdoará e curará nossa terra. E estaremos protegidos do Covid-19 ”, disse a Dra. Jane Ruth Aceng, durante uma conferência de imprensa em 2 de abril de 2020.

“Para nós, no Ministério da Saúde, estamos combinando os dois. Oramos e também temos cientistas que nos guiam na resposta. De qualquer forma, a sabedoria que os cientistas estão usando é dada por Deus”, disse ela.

“Você não pode desconectar Deus do Covid-19, nem pode desconectar Deus da resposta. Ele é a autoridade suprema nesta resposta. Peço aos ugandenses que continuem orando ”, disse a Dra. Jane.

Ela também atribuiu progresso à resposta inicial do governo ao combate ao vírus.

“Quando o número de pessoas expostas e infectadas cresce tão rápido, o estresse no sistema é enorme e o sistema não consegue lidar”, disse Aceng.

Em 21 de abril, Uganda cumpriu um mês desde a confirmação do primeiro caso, em 21 de março de 2020, segundo relatos.

Deixe sua opinião