O escritório do Primeiro Ministro da Índia, está investigando uma medica de uma clínica da cidade de Bikaner, estado de Rajasthan, por queixas de diversos pacientes que foram “receitados” em se converter ao Islã, segundo o diário indiano ‘The Hindustan Times’. O gerente geral de Saúde e Medicina, Devendra Choudhary, confirmou que “há muito tempo tem recebido queixas sobre o seu modo ‘religioso’ no trabalho”, e que ela ignorou as diversas advertências que teve.

Em uma ocasião recente, a doutora Jameema Hayat, recomendou que o pai de uma menina com sintomas de insolação que praticasse o islã e não lhe ofereceu nenhum tratamento. A medica explicou que professar a fé islâmica poderia salvar a sua família de todas as adversidades, e após um exame médico formal, começou a recitar textos religioso enquanto a menina sofria pela febre.

Devido a estes incidentes, Hayat teve que mudar para outros centros de saúdes em várias ocasiões. O gabinete do primeiro ministro tomou conhecimento da situação através de uma denúncia em seu portal, o que levou a uma investigação oficial.

Portal Padom

Deixe sua opinião